Tudo viagem

ITA Linhas Aéreas poderá operar em Congonhas com 6 slots

Os slots em Congonhas que poderão ser usados pela ITA pertenciam a MAP Linhas aéreas, empresa comprada pela VoePass, a antiga Passaredo, em agosto de 2019. 

A partir de 1° de março de 2021 a ITA Linhas Aéreas poderá operar no Aeroporto de Congonhas,  localizado na região central da cidade de São Paulo. Serão seis slots (autorizações de pousos e decolagens) que foram concedidos pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

Conforme consta no site da ANAC, a ITA Linhas Aéreas informou que pretende operar voos de Congonhas para Presidente Prudente e Ribeirão Preto, mas nada impede que a companhia mude os destinos. A ANAC informou que se em março de 2021 a ITA Linhas Aéreas não estiver apta a operar,  eles voltam para o banco de slots a agência. Ou seja, uma condicionante.

O fato de a ITA Linhas Aéreas ter conseguido o direito de operar em Congonhas vai ajudar a atrair investidores para a companhia. O Aeroporto de Congonhas é considerado um dos mais rentáveis da América do Sul. Até março do ano que vem a companhia pretende atender 16 destinos com 10 aeronaves Airbus A320.

Os slots em Congonhas que poderão ser usados pela ITA Linhas Aéreas pertenciam a MAP Linhas aéreas, empresa comprada pela VoePass, a antiga Passaredo, em agosto de 2019.  Segundo a ANAC, a MAP chegou a operar alguns slots em 2019 usando aeronaves fretadas da Passaredo e de outras empresas, mas, no caso de Congonhas esse tipo de operação não é contabilizada nos índices de regularidade da empresa. Foi por esse motivo que os slots foram retirados em setembro deste ano.

Três aeronaves da ITA já estão com reserva da matrícula na ANAC. O pedido foi feito em setembro deste ano. Veja abaixo:

PS-TCS (A-320)
PS-SPJ (A-321)
PS-AAF (A-320)

Para a ITA Linhas Aéreas começar a operar ela terá que cumprir seis etapas na ANAC. No dia 9 de outubro deste ano. a empresa iniciou a contratação de 600 profissionais. Em novembro serão abertas mais 300 vagas. Conforme o Tudo Viagem mostrou com exclusividade na quinta-feira  (15/10), já foram 10,2 mil inscrições recebidas pela empresa.

Veja quais são as etapas que uma empresa aérea brasileira deve realizar para obter o Certificado de Operador Aéreo (COA).

Fase 1 – Orientação prévia: a área técnica realiza a reunião de abertura do processo e a empresa tira todas as dúvidas sobre a preparação da documentação e as demonstrações. É a fase em que a Itapemirim se encontra dentro da chamada certificação operacional.

Fase 2: Solicitação formal: a empresa entrega o pacote de certificação, com todos os documentos, manuais e programas. Feito isso, a área técnica realiza uma análise de admissibilidade desse pacote, que é basicamente verificar se todos os documentos foram entregues e se não há nenhum erro ou falha na apresentação dos papéis.

Fase 3: Análise detalhada de documentos: Fase em que a área técnica analisa detalhadamente a documentação entregue. Nesta fase também é feita a aprovação individual dos manuais e programas da empresa.

Fase 4: Inspeções e demonstrações: é a fase prática do processo em que ocorrem as inspeções das bases de operações e manutenção, avaliação dos treinamentos, voos de avaliação operacional, exame dos tripulantes, por exemplo.

Fase 5: Certificação: esta última etapa é meramente administrativa e serve para saber se a empresa foi aprovada em todas as inspeções e demonstrações. Nesta fase é concedido o COA e as Especificações Operativas.

Finalizadas todas essas etapas, é concedido à empresa o certificação operacional. Para que ela possa iniciar as operações, é necessário aguardar a publicação da concessão pela Diretoria da ANAC. O processo é validado pelo colegiado durante a Reunião Deliberativa.

10,2 mil se inscrevem para vagas de emprego da ITA Linhas Aéreas

Pretende viajar? Garanta aqui passagens aéreas com descontos especiais

ANAC retira seis slots da VoePass em Congonhas

A decisão foi tomada nesta terça-feira (01/09) pela Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

A VoePass, que em agosto do ano passado comprou a MAP Linhas Aéreas, perdeu seis slots (autorizações de pousos e decolagens) no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo. A decisão é da Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). Em agosto do ano passado a MAP recebeu 12 slots e a VoePass 14.

Segundo a ANAC, a MAP chegou a operar alguns slots em 2019 usando aeronaves fretadas da Passaredo e de outras empresas, mas, no caso de Congonhas esse tipo de operação não é contabilizada nos índices de regularidade da empresa. Foi por esse motivo que os slots foram retirados nesta terça-feira (01/09).

A decisão foi unânime. Os diretores confirmaram a posição da área técnica, que aplicou os critérios de pelo menos 90% de regularidade no uso dos slots, conforme previsto na Resolução nº 338/2014.

Como não há saturação de infraestrutura no Aeroporto de Congonhas (SP) neste momento, os slots retornam para o banco e serão alocados na próxima temporada, em maio de 2021.

A empresa MAP Linhas Aéreas foi uma das empresas contempladas em agosto do ano passado pela redistribuição dos slots da Avianca em Congonhas, passando a obter o direito de operar 12 horários de pousos e decolagens.

Posição da ANAC sobre ação na Justiça contra a MAP

A ANAC divulgou nota sobre uma ação que está tramitando no Tribunal de Justiça do estado do Amazonas. Nesta ação a família Pachecho, que vendeu a MAP para a VoePass, antiga Passaredo, cobra pagamento de dívidas. Leia reportagem completa aqui.

Cabe à ANAC a observância do uso correto dos slots alocados nos aeroportos coordenados, como é o caso de Congonhas. Após a alocação dos slots, a Agência monitora seu uso, agindo de forma proativa e preventiva no intuito de que todas as premissas da distribuição inicial sejam fielmente cumpridas pelas empresas, garantindo-se o atendimento ao interesse público. Em relação à compra de empresas, a ANAC avalia apenas os aspectos de segurança e de certificação considerando sua regulamentação.

Posição da VoePass sobre a ação dos ex-proprietários da MAP

A MAP LINHAS AÉREAS informa haver sido firmado, em agosto de 2019, um acordo de compra e venda de suas ações com a troca do controle societário, o que foi formalizado através de contrato com cláusula expressa de irrevogabilidade e irretratabilidade, sendo eventual descumprimento do mesmo, se houver, resolvido através de perdas e danos.

A MAP informa ainda que está discutindo a ocorrência de vários inadimplementos contratuais por parte dos antigos controladores, inclusive a existência de dívidas em mais de R$24 milhões acima do valor declarado em contrato, e que a aeronave devolvida para os antigos controladores não faz parte do plano de frota da empresa, seja pela defasagem tecnológica decorrente da idade avançada da mesma, seja pela sua condição de manutenção.

 

 

Além dos descumprimentos contratuais realizados de forma reiterada pelos antigos controladores, a MAP ainda está apurando a ocorrência de denúncias sobre fraudes nas antigas manutenções realizadas pelos antigos controladores da empresa, estando sob auditoria da ANAC para apuração dos descumprimentos de regulamentos aeronáuticos realizados no passado, todos de responsabilidade dos ex-controladores, o que levou inclusive a uma substituição pelos novos controladores de mais de 2/3 da frota operada pela empresa.

A companhia informa ainda que a empresa possui com a GOL acordo comercial interline desde 2014 e acordo de compartilhamento de voos desde o ano de 2018 e que todas as operações realizadas entre as empresas ocorreram dentro do ambiente dos contratos comerciais e de codeshare.

A MAP esclarece que os atuais controladores da empresa ainda não foram sequer citados para apresentação de defesa no processo, e que tomarão todas as medidas para garantir o cumprimento de todas as obrigações assumidas pelos vendedores no contrato.

Gol teria investido R$ 27 milhões na compra da MAP Linhas Aéreas

Pretende viajar? Garanta aqui passagens aéreas com descontos especiais

Aeroporto de Ipatinga está impedido de receber voos de novas companhias

Pela Portaria nº 908, de 13 de abril de 2016, Ipatinga só pode receber 32 voo semanais, número que já está sendo usado pela Azul.

A cidade de Ipatinga não poderá ser beneficiada com a decisão da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) de liberar 26 slots (autorização de pousos e decolagens) no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, para as companhias Passaredo e MAP Linhas Aéreas. Essas duas companhias usam em suas rotas o ATR-72, com 70 assentos, modelo que realiza os voos da Azul em Ipatinga. A foto abaixo é de um modelo ATR.

A Passaredo tinha planos de lançar voos de Congonhas para a cidade mais importante do Vale do Aço, mas o aeroporto da Usiminas, como é conhecido, está operando com toda a sua capacidade. Pela Portaria nº 908, de 13 de abril de 2016, Ipatinga só pode receber 32 voo semanais, número que já está sendo usado pela Azul.

Os voos de Ipatinga não Congonhas teriam uma grande procura em função da grande demanda de clientes que viajam para os contatos comerciais na indústria e comércio do Vale do Aço. Atualmente esses passageiros viajam pela Azul e são obrigados a fazer troca de aeronave em Belo Horizonte (Confins) antes de seguirem viagem para São Paulo.

A restrição no Aeroporto de Ipatinga aparece na portaria da ANAC pelo motivo NPA (aproximação de não precisão), motivo de ter um limite máximo de voos por semana. (Veja na imagem abaixo). A Passaredo chegou a lançar voo diretos de Ipatinga para Guarulhos (SP) com taxas de ocupação em suas aeronaves de 80%, mas foi obrigada a deixar o mercado do Vale do Aço após ser obrigada a devolver alguns aviões.

A ANAC informou que o número de voos no Aeroporto de Ipatinga pode aumentar, mas para que isso ocorra o  operador do aeroporto, no caso o Governo de Minas, precisa fazer investimentos para que a capacidade do terminal seja aumentada. Por causa da crise financeira, o governo estadual não tem planos de fazer esses investimentos.

Veja a portaria da ANAC com a restrição no Aeroporto de Ipatinga

Pretende viajar? Garanta aqui descontos especiais na compra das passagens aéreas

 

Azul estuda acabar com os voos de Curitiba e Porto Alegre para ter 28 frequências na ponte aérea

Nos voos da  ponte aérea Rio/São Paulo  previstos para outubro deste ano,  a companhia vai usar o Airbus A320neo com 174 assentos.

A companhia Azul pretende lançar 14 voos do Aeroporto de Congonhas para o Santos Dumont, aeroporto localizado no centro do Rio de Janeiro. Esses voos na ponte aérea Rio São Paulo serão possíveis graças aos slots (horários de pousos e decolagens) que a Azul recebeu em Congonhas. A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) decidiu repassar para Azul 15 slots no aeroporto localizado na capital paulista. A estreia da Azul na ponte aérea está prevista para outubro deste ano.

Mas para chegar aos 14 voos de Congonhas para o Santos Dumont, e 14 no sentido contrário, totalizando 28 horários na ponte aérea, a Azul planeja acabar com os voos quatro voo s diários de Curitiba para Congonhas e com os três de Porto Alegre para Congonhas, segundo o diretor de alianças da Azul, Marcelo Bento Ribeiro. Ele informou que os seis voos que a Azul tem de Belo Horizonte (Confins) para Congonhas serão mantidos.

Na ponte aérea Rio/São Paulo a Azul vai usar o Airbus A320neo com 174 assentos. O serviço de bordo nos voos de Congonhas para o Santos Dumont deverá ser o mesmo das demais rotas nacionais, com os snacks serviços a vontade, além dos refrigerantes e sucos. Marcelo Beto disse que poderá ser acrescentado um outro item no serviço de bordo.

No dia 9 de agosto deste ano termina prazo para que as companhias Passaredo e MAP comprovem capacidade técnica de operar com o ATR-72 com 70 assentos em Congonhas. A Passaredo recebeu 14 slots em Congonhas e MAP 12. Caso elas não consigam aprovar essa capacidade técnica, os slots voltam para a ANAC e poderão ser usados pela Azul.

A ANAC  distribuiu no dia 31 de julho deste ano 31 slots de Congonhas que eram usados pela Avianca Brasil, companhia que deixou de operar em maio deste ano. Atualmente a Gol tem possui 234 slots em Congonhas e LATAM 236,

Vai viajar? Garanta aqui descontos na compra das passagens aéreas

Azul terá 15 slots em Congonhas, Passaredo 14 e MAP recebe 12

A empresa TWOFlex terá direito a 14 slots que serão serão na pista auxiliar do aeroporto localizado na cidade de São Paulo.

A Azul recebeu 15 dos 41 slots (autorizações de pousos e decolagens) rque eram da Avianca Brasil no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo. A divulgação foi feita na tarde desta quarta-feira (31/07) pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). A MAP Linhas Aéreas, de Manaus, recebeu 12 slot e Passaredo foi contemplada com 14 slots horários.

 

Segundo a ANAC, as empresas MAP e Passaredo deverão comprovar até 9 de agosto deste ano, junto ao operador aeroportuário e ao órgão de controle do espaço aéreo, o atendimento de requisitos operacionais exigidos para operação no aeroporto. A TWOFlex terá direito a 14 slots.

A novidade é que as autorizações de pousos e decolagens da companhia TWOFlex serão na pista auxiliar de Congonhas. Ou seja, os slots da Avianca Brasil não foram usados nesta distribuição. Os slots da TWOFlex dependem de confirmação pelo Centro de Gerenciamento de Navegação Aérea (CGNA).

A distribuição dos slots que eram da Avianca Brasil foi para companhias entrantes (com menos de 54 slots), deixando de fora a Gol (possui 234) e LATAM (236). A Azul, que atualmente possui  13 slots  em Congonhas, vai usar as novas autorizações para lançar voos na ponte aérea Rio/São Paulo. Nesta rota a companhia vai usar o Airbus A320 com 174 assentos.

A agência reguladora da aviação informou que após a aprovação, as companhias poderão iniciar a oferta de voos de acordo com os horários alocados. Caso alguma empresa não seja autorizada a operar, os slots voltarão para o banco e serão distribuídos conforme a Decisão Nº 109, ou seja, até 100% para as empresas que possuem até 54 slots (entrantes) e o restante a ser dividido entre todas as empresas.

MAP entra na disputa pelos horários de voos em Congonhas e estuda operar com jatos maiores

Atualmente a companhia com sede em Manaus opera em 14 destinos dos estados do Amazonas e do Pará com os modelos turboélices ATRs.

A MAP Linhas Aéreas, a única companhia de voos regulares fora do eixo Rio-São Paulo, decidiu entrar na disputa pelos slots (horários de pousos e decolagens) no Aeroporto de Congonhas,  localizado na capital paulista.  A companhia já estuda a incorporação em sua frota de jatos com mais de 120 assentos para explorar o mercado de Congonhas. Atualmente a companhia atua na região Norte do Brasil com três  modelos ATRs-42 com 45 assentos e três ATRs-72 com 70 lugares.

A decisão da MAP de entrar na disputa pelos horários de voos em Congonhas foi tomada na quinta-feira (25/07) logo após a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) anunciar que as regras para distribuição dos 41 slots que eram da Avianca Brasil. A agência reguladora definiu que essas autorizações de pousos e decolagens serão para companhias entrantes. São consideradas entrantes as empresa com menos de 54  slots em Congonhas. Desta forma. ficam de fora da disputa a Gol e a LATAM que possuem 234 e 236 slots respectivamente.

A direção da ANAC já decidiu que os novos slots poderão ser exploradas imediatamente pelas entrantes. Além da MAP, estão na disputada pelos horários de voos em Congonhas as companhias Azul (possui 13 slots hoje), Passaredo e Sideral Linhas Aéreas. Cada uma poderá receber 10 slots. Seriam cinco partidas e cinco chegadas. Com mais concorrência, a ANAC espera que os passageiros uma maior oferta de passagens aéreas baratas nos voos de Congonhas.

Segundo o CEO da MAP, Hector Hamada, a companhia está preparada para começar a operar em Congonhas assim que receber o aval da ANAC. Inicialmente os voos seriam realizados pelos modelos ATRs-72 e as rotas serão definidas assim que a agência reguladora definir quantos slots cada empresa terá. A companhia não descarta de lançar voos de Congonhas para as cidades do interior de Minas Gerais e São Paulo, sem descartar destinos da região Centro-Oeste do Brasil.

A intenção da MAP é começar a negociar os jatos com mais de 120 assentos assim que começar a operar em Congonhas. Atualmente a companhia opera em 14 destinos dos estados do Amazonas e do Pará. Hector Hamada disse que a empresa não desistiu de operar no Ceará e no Acre,  além de um destino no Peru que faria a conectividade com as cidades do Norte do Brasil.

ANAC surpreende e mercado e decide que Gol e LATAM não vão receber slots em Congonhas

 

Vai viajar? Faça aqui a sua cotação e garanta descontos especiais na compra das passagens aéreas

 

 

 

Exclusivo! ANAC realiza reunião extraordinária na tarde desta quinta-feira para anunciar distribuição de slots em Congonhas

A direção da agência decidiu realizar a reunião extraordinária depois da constatação de um aumento no preço das passagens dos voos de Conngomhas após a saída da Avianca do mercado.

Uma das decisões mais esperadas pelas companhias aéreas e pelos consumidores será anunciada na tarde desta quinta-feira (25/07) pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). Em reunião extraordinária que será realizada a partir das 16 horas, o direção da agência reguladora vai anunciar para quais companhias serão distribuídos os slots (autorização de pousos e decolagens) que eram da Avianca Brasil em Congonhas, na cidade de São Paulo.

 

A ANAC encerrou no dia 7 de julho deste ano uma consulta pública que ouviu a sociedade sobre a distribuição dos slots. A Avianca Brasil tinha 26 slots em Congonhas, mas como deixou de operar em maio deste ano agora a ANAC vai divulgar quais as companhias terão direito de explorar essas autorizações. A direção da ANAC decidiu realizar a reunião extraordinária depois da constatação de um aumento no preço das passagens dos voos de Conngomhas após a saída da Avianca do mercado.

Atualmente a Gol tem 130 slots em Congonhas, mesmo número que possui a LATAM. A companhia Azul tem apenas 13. Além de Gol, LATAM e Azul estão na disputada destes espaços a Passaredo, TWOFlex e Sideral. Essas três companhias são consideradas entrantes (novas) e têm chances de serem beneficiadas, segundo as regras atuais da ANAC.

Caso a ANAC deixe de fora a Gol e a LATAM a distribuição dos slots pode render uma batalha de ações judicais. O motivo é que no leilão realizada pela Avianca Brasil a Gol e a LATAM deram lances que garantiram a compra dos slots em Congonhas. Acontece que a ANAC alega que a Avianca não é mais detentora destas autorizações. Tudo indica que a ANAC vai anunciar uma medida para incentivar a concorrência, garantindo mais passagens aéreas baratas, principalmente nos voos da ponte aérea (Rio São Paulo).

Vamos divulgar o resultado da reunião no final desta tarde.

Vai viajar? Faça aqui a sua cotação e garanta descontos especiais na compra das passagens aéreas

 

 

 

 

 

Companhia brasileira pede à ANAC para operar na ponte aérea com avião de luxo; veja as fotos

A companhia pretende usar em Congonhas o Boeing 737-500 equipado com 52 assentos executivos com poltronas de couro.

A Sideral Linhas Aéreas, companhia sediada em Curitiba, entrou na disputa pelos slots (autorização de pousos e decolagens) no Aeroporto de Congonhas, localizado na cidade de São Paulo. A companhia pediu à Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) para operar voos de  Congonhas para o Aeroporto Santos Dumont (Rio de Janeiro) e Brasília. (Veja abaixo a tabela de voos).

A Sideral pretende iniciar os voos no dia 16 de novembro deste ano. A companhia vai usar nos voos para Brasília e na ponte aérea Rio/São Paulo uma aeronave que promete revolucionar o mercado de luxo da aviação. A novidade é um Boeing 737-500 equipado com 52 assentos executivos com poltronas revestidas com couro italiano. É o maior espaço entre as poltronas em relação a todos os aviões de grande porte em operação no Brasil.

O pedido da Sideral tem tudo para ser aprovado pela ANAC. Se até outubro deste ano a Avianca Brasil não voltar a operar em Congonhas, a agência reguladora terá que fazer a distribuição dos 23 slots que eram usados pela Avianca no aeroporto localizado na capital paulista. Pela regra atual, as novas companhias (entrantes) em Congonhas têm direito a ficar com a metade dos slots. As demais autorizações de pousos e decolagens seriam dadas para a Gol, LATAM e Azul. Lembrando que a Azul tem 12 sltos e LATAM e Gol 130 cada.

Nesta sexta-feira (14/06) a Passaredo Linhas aéreas oficializou um requerimento junto ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) para que seja considerada como nova empresa apta a operar no Aeroporto de Congonhas. A Sideral e Passaredo têm mais chances de ficar com os slots já que possuem certificação da ANAC para operar no Brasil. Cada companhia poderá receber de 5 a seis autorizações de pousos e decolagens.

A Sideral opera atualmente no setor de cargas e realiza fretamentos, principalmente para clubes de futebol. Para que a Sideral comece a oferecer voos regulares ela vai precisar, por exemplo, montar bases de tripulantes, o que pode ser realizado em no máximo 60 dias. Além do Boieng 737-500, a companhia tem em sua fota os Boeings 737-300, mesmo modelo que era usado pela extinta Webejet.

A Passaredo e a Sideral têm vantagens em Congonhas em relação as companhias estrangeiras que demonstraram interesse pelos slots. A MAP Linhas Aéreas, com sede em Manaus, e que usa em seus voos o modelo ATR, o mesmo da Passaredo, também vai entrar com pedido para operar em Congonhas. MAP também tem tudo para ser autorizada a operar na capital paulista. A informação sobre o interesse da MAP é de uma fonte da ANAC, que pediu para não ser identificada,

A Air Europa, por exemplo, que entrou processo de certificação na ANAC, não conseguirá cumprir todas as etapas para começar a operar voos domésticos no Brasil. Todo processo dura 220 dias. A Air Europa está interessada nos slots de Congonhas. Veja aqui mais fotos da aeronave da Sideral que será usada em breve em Congonhas.

Conheça o avião de luxo que transporta jogadores dos principais clubes do Brasil

 

PRETENDE VIAJAR NOS PRÓXIMOS DIAS? GARANTA AQUI DESCONTOS ESPECIAIS NA COMPRA DAS PASSAGENS AÉREAS

Azul anuncia compra de parte das operações da Avianca para aumentar voos em Congonhas, Santos Dumont e Guarulhos

A negociação inclui  a compra do certificado de operador aéreo da Avianca Brasil, 70 pares de slots e aproximadamente 30 aeronaves Airbus A320.

A companhia Azul, a terceira maior aérea do Brasil, anunciou investimento no valor de US$ 105 milhões para a aquisição de ativos da Avianca Brasil por meio de uma Unidade Produtiva Isolada (UPI) de acordo com a Lei de Falências e Recuperação Judicial. A UPI incluirá ativos selecionados pela Azul como o certificado de operador aéreo da Avianca Brasil, 70 pares de slots e aproximadamente 30 aeronaves Airbus A320.

Na realidade, a Azul está de olho nos slots (autorização de pousos e decolagens) no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Atualmente a Azul tem 13 slots no aeroporto localizado na capital paulista. Após a conclusão da compra os ativos da Avianca Brasil, a Azul herdaria os 34 slots da empresa e chegaria a 47. Atualmente Gol e LATAM possuem 130 slots cada em Congonhas.

A Azul também está de olho nos slots da Avianca Brasil nos Aeroporto Santos Dumont, Guarulhos, Vitória e Goiânia. A Azul poderia lançar voos na ponte aérea Rio/São Paulo. Hoje a companhia não opera nesta rota. A Azul tem 13 voos partindo e chegando do Santos Dumont para Campinas. A intenção da Azul é usar a tripulação da Avianca Brasil nos slots que ela pretende comprar, o que evitaria demissões.

“Destacamos que o acordo é não-vinculante e que o processo de aquisição da UPI está sujeito à uma série de condições como a conclusão de um processo de diligência, a aprovação de órgãos reguladores e credores, assim como a conclusão do processo de Recuperação Judicial. A expectativa é que esse processo dure cerca de três meses”, diz nota divulgada pela Azul.

A Azul informou ainda que divulgará novas informações relevantes a respeito desta transação assim que estiverem disponíveis.

CONHEÇA AQUI O SITE QUE VENDE PASSAGENS AÉREAS COM DESCONTOS

 

ANAC define na segunda-feira quantos voos as companhias terão na Pampulha

Somente a partir da definição dos slots as companhias LATAM, Avianca Brasil, Azul, Gol e Passaredo poderão solicitar novos voos.

 

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) vai divulgar na segunda-feira (13/11) quantos slots cada companhia aérea terá no Aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte. Os slots são as autorizações de pousos e decolagens.

[expander_maker id=”1″ more=”Leia mais” less=”Recolher”]

No dia 25 de outubro deste ano o Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil derrubou as restrições de voos com jatos para as capitais  a partir do aeroporto localizado a 98 quilômetros do centro da capital. Com a liberação, as companhias apresentaram vários pedidos de novas frequências na Pampulha.

Somente a partir da definição dos slots as companhias LATAM, Avianca Brasil, Azul, Gol e Passaredopoderão solicitar novos voos no Aeroporto da Pampulha. Ou seja, todos os pedidos apresentados depois do dia 25 de outubro foram reprovados. A Passaredo é a única companhia que opera na Pampulha. Tudo indica que a ANAC vai autorizar duas partidas e duas chegadas por hora.

No dia 1º de novembro deste ano a ANAC divulgou a decisão de número 189 que declarou coordenado o Aeroporto da Pampulha. Isso significa que a distribuição de slots a partir de março de 2018 terá vários critérios, entre eles pontualidade de no mínimo 75%.  O Aeroporto de Congonhas, na capital paulista, também é coordenado pela ANAC.

Nesta terça-feira (07/11) várias faixas foram colocadas na Região da Pampulha em apoio à decisão do Governo Federal de liberar voos comerciais no aeroporto de Belo Horizonte.

 

Leia AQUI a decisão da ANAC

 

VAI VIAJAR? CONHEÇA O SITE DA EMPRESA QUE EMITE PASSAGENS AÉREAS COM ATÉ 80% DE DESCONTO

[/expander_maker]

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com