Tudo viagem

Porto Seguro autoriza passeio marítimo e reabertura de parques aquáticos

A Cia do Mar, empresa que realiza os passeios em escunas para Recife de Fora, espera voltar a atender os turistas no próximo final de semana.

A Prefeitura de Porto Seguro, no Sul da Bahia, autorizou a retomada do comércio ambulante, dos  passeios marítimos, a reabertura dos parque aquáticos e dos eventos sociais com até 100 pessoas. O decreto Decreto Municipal 11.145, de 30 de setembro de 2020, faz parte da na fase 5 do Programa Porto Mais Seguro.

O Arraial d’ajuda Eco Parque, fechado em março deste ano por causa da pandemia do coronavírus, já está recebendo o público com novos protocolos sanitários. Também foi autorizado o aumento para 70% na capacidade de atendimento dos estabelecimentos hoteleiros que já possuam o selo Porto Mais Seguro.

Segundo a Prefeitura de Porto Seguro, já estão liberados os trabalhadores fixos e móveis nas praias, na Passarela do Descobrimento, Cidade Histórica e demais pontos turísticos onde já atuavam. Os músicos e DJs também seguem suas atividades conforme regras específicas, bem como as apresentações artísticas e de dançarinos que não gerem aglomerações.

As crianças podem retornar aos playgrounds e áreas infantis privadas, com 40% de ocupação do espaço. E os estabelecimentos gastronômicos, barracas de praia, restaurante, entre outros, que possuam o selo Porto Mais Seguro, podem ampliar para 70% o limite de atendimento.

Os passeios e atividades marítimas poderão voltar a funcionar com limitação específica para as diferentes atividades e atendimento de protocolos também para cada setor. A Cia do Mar, empresa que realiza os passeios em escunas para Recife de Fora, espera voltar a atender os turistas no próximo final de semana.

Porto Seguro é referência no Brasil na retomada do turismo com protocolos sanitários para evitar a propagação do novo coronavírus. Atualmente a cidade localizada no Sul do Bahia tem voos sem escalas partindo de Belo Horizonte, São Paulo e Salvador.

Assista vídeo do passeio realizado pela Cia do Mar em Recife de Fora

 

Pretende viajar para Porto Seguro? Garanta aqui passagens aéreas com descontos

Garanta aqui sua hospedagem em Porto Seguro

Monte Verde tem flexibilização das atividades ligadas ao turismo

Em 2019 mais de 500 mil turistas passaram pelo distrito, sendo 60% na alta temporada, que compreende entre maio e agosto, segundo dados da Prefeitura de Camanducaia.

A taxa de ocupação dos hotéis de Monte Verde que hoje é de no máximo 40% passará para 60% a partir desta quinta-feira (30/07). O destino turístico localizado em Camanducaia tem cerca de 150 estabelecimentos de hospedagens. Os veículos que fazem transporte para os atrativos turísticos poderão levar no máximo, três pessoas, incluindo o guia/motorista, exceto nos casos de casais acompanhados de filhos. Neste caso será permitida a ocupação máxima do veículo.

A Trilha da Pedra Redonda, um dos atrativos de Monte Verde, poderá receber famílias. Na regra anterior, o acesso estava restrito a apenas duas pessoas. A entrada de famílias no passeio na Trilha da Pedra Redonda só será permitida com a contratação de agências de passeio.

Essas flexibilizações fazem parte do Prefeitura de Camanducaia (nº 145/2020), publicado na última sexta-feira (24/07).  Os estabelecimentos comerciais acima de 150 m² poderão funcionar com, no máximo, dez clientes por vez. Antes o limite era de seis clientes, sempre obedecendo o distanciamento interpessoal de, no mínimo, de dois metros.

Segundo o novo decreto, as áreas de lazer, como piscinas, saunas, quadras esportivas e playground dos hotéis e  pousadas não poderão ser abertos.  As atividades com até duas pessoas em quadra esportiva para tênis  estão permitidas.

A apenas turistas com reservas antecipadas podem ter acesso ao distrito nos finais de semana e feriados. Pelas regras definidas pelo decreto municipal 0119/2020, do dia 29 de maio, as atividades de outros segmentos também também podem funcionar, como bares, restaurantes, lojas, academias e salões de beleza.

Monte Verde tem  mais de 50 restaurantes, bares e similares. Em 2019 mais de 500 mil turistas passaram pelo distrito, sendo 60% na alta temporada, que compreende entre maio e agosto, segundo dados da Prefeitura de Camanducaia.

“Nossa prioridade é fazer a retomada de maneira consciente e responsável, seguindo absolutamente todos os protocolos sanitários”, disse Rebecca Wagner, presidente  Agência do Desenvolvimento de Monte Verde e Região, entidade criada neste ano para promover o desenvolvimento econômico sustentável de Monte Verde.

As fotos deste post são de João Henrique  Peters Heringer

Garanta aqui hospedagem em Monte Verde

Jangadeiros cobram retorno dos passeios em Porto de Galinhas; veja fotos e vídeos do protesto

A Prefeitura de Ipojuca, onde fica Porto de Galinhas, alega que precisa de um aval do Governo de Pernambuco para autorizar a volta dos passeios de jangada.

Os passeios de jangadas de Porto de Galinhas, no litoral de Pernambuco,  estão suspensos desde o dia 21 de março deste ano por causa da pandemia do coronavírus. Na quinta-feira (24/07), depois de quatro meses sem poder trabalhar, os jangadeiros fizeram uma manifestação na praia de Porto de Galinhas cobrando o retorno do atrativo turístico do destino. As jangadas, que antes da pandemia apareciam nas fotos dos turistas, estão paradas, deixando 84 integrantes da Associação dos Jangadeiros sem como pagar as suas contas.

A Prefeitura de Ipojuca, onde fica Porto de Galinhas, alega que precisa de um aval do Governo de Pernambuco para autorizar a volta dos passeios de jangada. Na manifestação os jangadeiros reforçaram que o passeio é ao livre. Além do reforço na limpeza, os profissionais que fazem esse serviço alegam que será reduzido de 6 para 4 o número de pessoas por jangada.

O passeio de jangada custa R$ 30 e tem duração de 45 minutos. O viajante recebe coletes e material para apreciar os peixes coloridos nas piscinas de água morna de Porto de Galinhas.

Em Porto de Galinhas os hotéis e pousadas foram reabertos e o banho de mar foi autorizado. O comércio na praia ainda não foi autorizado.

Vídeos da manifestação

 

 

 

 


Garanta aqui hospedagem em Porto de Galinhas

Confira nosso especial de viagem sobre a Serra da Canastra

O paredão de pedras por onde o Rio São Francisco cai para se transformar em sua primeira cachoeira, a sexta maior do Brasil, é usado como ninhos de andorinhas e demais pássaros da região.

Conhecer o Parque Nacional da Serra da Canastra foi uma das melhores experiências dos últimos anos! Foi nesta viagem que tivemos a oportunidade de conhecer a nascente do Rio São Francisco, de ver de perto a Cachoeira Casca D Anta, de saborear as delícias do Restaurante  “Velho Chico”,  além de uma experiência de hospedagem incrível no Hotel Chapadão da Canastra, localizado em São Roque de Minas.

Fizemos o trajeto de carro até São Roque de Minas, que fica a 320 km de Belo Horizonte. Nesta viagem estavam Celso Martins, e João Henrique Heringer, do Tudo Viagem, acompanhados de Darick e Havana, nossos cãezinhos viajantes, além de Rafael D’Oliveira e Carla Silva, do site BHAZ. Confira tudo sobre a Serra da Canastra neste post especial.

A hospedagem foi em São Roque de Minas, cidade toda limpinha, cercada por muito verde e com um povo hospitaleiro. Nos arredores da cidade são 50 opções de passeios em fazendas que produzem o queijo da Canastra. Algumas servem cafés e almoços para grupos. No caminho destas fazendas você pode parar para dar um mergulho em rios e cachoeiras cristalinas.

Nosso primeiro passeio foi na parte alta do Parque Nacional da Serra da Canastra. Nosso guia foi o Elmo Brancatto, profissional que recomendamos. Em todo o trajeto ele mostrava as paisagens e sempre chama a atenção quando os animais que apareciam às margens da estrada, pareciam que faziam pose para serem fotografados, entre eles Ema, Tamanduá bandeira, Veado Campeiro e até uma Raposa com um filhote. O Urubu Rei estava por toda parte.

Cachoeira Casca D Anta

Nossa primeira parada foi na nascente do Rio São Francisco, que fica a 1.300 metros acima do nível do mar. Como estava no período de chuva, tinha muita água e o que chamou a atenção é a quantidade de peixinhos no pequeno córrego, além de uma água transparente.

Em seguida fomos até a parte alta da Cachoeira Casca D Anta. Neste local há um mirante que permite uma vista espetacular da parte baixa do Parque Nacional da Serra da Canastra, e de onde se forma a cachoeira, a primeira do “Velho Chico”.

O nosso guia, o Elmo Brancatto, é tão atencioso com um grupo que durante o trajeto até o mirante alertava sobre as pedras soltas que poderiam causar pequenos acidentes, além dos alertas sobre os pontos mais perigosos. Depois de belas fotos de uma linda paisagem, hora de retornar para um mergulho no Rio São Francisco.

Além de um mergulho “renovador”, em um local cercado de montanhas e pela vegetação do Cerrado, ao entrar no rio você tem outra surpresa. Os peixinhos massageiam suas pernas. Neste local há banheiros para o público, mas não há nada para comprar.

Depois de um banho relaxante, hora de fazer o trajeto de volta. O nosso guia Elmo Brancatto fez uma parada no Curral de Pedras, onde funcionou uma fazenda há cerca de 200 anos. Um local lindo para você fotografar. O local usado para cercar os animais foi todo preservado As pedras eram as cercas da fazenda.

Primeira cachoeira do Rio São Francisco

No segundo dia do passeio o nosso guia nos Elmo Brancatto nos levou para conhecer a parte baixa do Parque Nacional da Serra da Canastra, onde fica a primeira cachoeira do Rio São Francisco: a Casca D Anta. Mas no trajeto, nos deparamos com  várias surpresas:corujas, raposas, Veados e gaviões atravessaram em nosso caminho.Tivemos uma parada rápida em um mirante, mas depois de alguns minutos fomos conhecer a “prainha” do Rio São Francisco, local ideal para um mergulho.

O almoço neste dia foi no belo distrito de São José do Barreiro, que pertence a São Roque de Minas.  O local escolhido pelo nosso guia foi o Restaurante Real da Canastra, onde você encontra comida mineira feita no fogão a lenha.

Em seguida fomos para a etapa mais importante da viagem: ver de perto a Cachoeira Casca D’  Anta. Para entrar no Parque Nacional da Serra da Canastra é cobrada entrada de R$ 11 por pessoa. Veículos com idosos e pessoas com necessidades de locomoção podem entrar no parque. Eles conseguem chegar a poucos metros da cachoeira.

O trajeto até lá é de 1,5 km. A trilha no meio da mata tem algumas subidas, mas nada demais. Depois de cerca de 40 minutos de caminhada, sempre ouvindo o barulho das correntezas do Rio São Francisco, e com vista do alto a Serra da Canastra, o visitante se emociona quando chega bem em frente a Cachoeira Casca D Anta. São 186 metros de queda d´água num paredão de 300 metros.

No dia da nossa visita fomos surpreendidos com um arco-íris. Como havia chovido no dia anterior, na parte superior da Serra da Canastra, a queda estava bem mais volumosa, o que fazia tudo ainda mais exuberante. Gotas de água fria batiam nas pedras e vinham refrescar quem estava no  local. Não é recomendado que as pessoas se aproximem da queda d´água por causa dos ricos de acidentes nas pedras.

Pato-mergulhão

O paredão de pedras por onde o Rio São Francisco cai para se transformar em sua primeira cachoeira, a quinta maior do Brasil, é usado como ninhos de andorinhas e demais pássaros da região. É nesta região do parque que vivem 150 das 200 espécies do pato-mergulhão, uma ave endêmica do Brasil da família Anatidae e do gênero Mergus.

É uma das 10 aves aquáticas mais raras, emblemáticas e ameaçadas de extinção do mundo. Esse pato só mergulha em água totalmente limpa, motivo de escolher o Rio São Francisco como fonte de alimento.

Quer realizar esses passeios com segurança? Anota ai o contato do Elmo Brancatto: 37 99914-9737

Restaurante Velho Chico

Para ter tanta energia para ir as cachoeiras, nadar em rios e percorrer trilhas, o segredo é renovar as energias no Velho Chico. Mas não estamos falando do maior brasileiro. Velho Chico é o restaurante dirigido por Ricardo Aziz Barbosa e Elaine Silva Pereira Aziz, localizado no Centro de São Roque de Minas.

O Velho Chico foi aberto em 21 de julho de 2017 e desde sua inauguração surpreende os clientes com uma verdadeira explosão de sabores. Os pratos são preparados na hora e os principais ingredientes são fornecidos pelos produtores da região. Além do tradicional Queijo da Canastra, O Velho Chico tem sobremesas preparadas com melado de cana e goiabada feita nas fazendas da região.

João Henrique, Elaine, Ricardo, Rafael, Celso e Simone

Entre as delícias que tivemos a oportunidade de saborear , os destaques foram o filé mignon preparado com molho de Queijo Canastra, o Filé de Tilápia com Parmesão e a Isca de Surubim ao molho de queijo canastra. O Rafael Oliveira e Carla Silva, do site BHAZ, se encantaram com o tropeiro Velho Chico, prato que acompanha couve, costelinha, torresmo, ovo e arroz.

 

No Velho Chico de Vargem Bonita, inaugurado em agosto de 2019, que fica a cerca de 20 minutos de carro de São Roque de Minas, o prato servido foi o Filé de Tilápia recheado com requeijão e palmito. O acompanhamento foi arroz cremoso de brócolis e alho. O segredo do creme é o Queijo Canastra derretido.

Nas duas unidades há vasta opção de sobremesas. Nosso grupo teve a oportunidade de saborear Doce de Leite com Queijo Canastra, Romeu e Julieta, Sorvete de Queijo Canastra com Goiabada Quente, Cheesecake de queijo canastra com calda de frutas vermelhas.

Festa da virada do ano

Se você estava sem o que fazer no final do ano, a dica é viajar para São Roque de Minas. O Velho Chico terá festa de Réveillon para celebrar a virada do ano. O evento open bar, open food, com DJ, banda e queima de fogos, será uma oportunidade para você experimentar essas delícias da Serra da Canastra.

A abertura será às 22h30. Além de bebidas a vontade, os participantes terão mesa de frutas; mesa de queijos (canastra), mesa de frios; mesas temáticas; jantar; sobremesa; café da manhã.

Antes de meia noite o público irá para a área externa do restaurante, onde será feita a contagem regressiva para a chegada de 2020, com uma linda queima de fogos. A festa se estenderá até as 04h30.

Endereço Velho Chico São Roque de Minas

Praça Miguel Tenente, 92, Bairro Colina, São Roque de Minas

Endereço Velho Chico de Vargem Bonita
Rua Ubirajara Lima, 145 – Centro – Vargem Bonita/MG

Acesse aqui o site do Velho Chico

Reservas de mesas e demais informações: (37) 98825-7535

Hotel Chapadão da Canastra

São 24 apartamentos, cada um com uma área de 25 m², equipados com frigobar, TV LED 32’, telefone, ventilador e ar condicionado, além de varandas com vistas da exuberante serra e do bosque. O hotel é pet friendly, um dos primeiros de Minas Gerais a aceitar animais.

Das varandas dos quartos é possível avistar pequenos animais silvestres e diversas espécies de pássaros.  O hotel tem piscina adulto e infantil, hidromassagem aquecida e barzinho, além de salão de jogos, loja de artesanato, lavanderia, videoteca, Lan House e Wi-Fi.

 

Quer se desconectar do mundo virtual? O Hotel tem uma trilha que vai até à margem do Rio do Peixe, afluente do Rio São Francisco. A caminhada dura menos de três minutos. Além de curtir o ambiente de uma mata preservada, observar a água limpinha fazendo seu percurso lentamente é uma verdadeira terapia. Na volta, a dica escolher uma das redes do redário, localizado debaixo da copa das árvores.

 

O café gourmet da Canastra e os quitutes da culinária mineira fazem a gente se sentir em uma fazenda. São três versões do pão de queijo, seis opções do queijo da Canastra, receitas da vovó, além das deliciosas pamonhas.

Não deixe de experimentar o “João Deitado”, pãezinhos recheados com carne, palmito, frango e queijo, além de salgadinhos produzidos diariamente. São mais de 40 itens, incluindo ainda sucos, geleias, pratos salgados, bolos e tortas.

O Chapadão da Canastra disponibiliza veículos 4X4 para passeios nos melhores e mais procurados roteiros da Serra da Canastra. O hotel disponibiliza um kit com água gelada, sanduíches –  natural e misto – suco, barra de cereal, bolo e frutas.

Mais informações e reservas (37) 34331267 –

Reservas pelo site chapadaodacanastra.com.br

Telefone: informações e reservas (37) 3433-1267

Mãe e filha são promotoras do turismo da região

A advogada Simone Renata Soares Dupin administra o Chapadão da Canastra desde 2014, junto com a sua mãe, Renilda Soares Dupin. Elas cuidam dos mínimos detalhes para agradar os hóspedes. Fazem de tudo para você se sentir em casa.

Renilda, Simone e o guia Elmo

 

Mãe e filha atuam como voluntárias na divulgação dos atrativos da Serra da Canastra. Entre as ações estão convites para jornalistas e influenciadores digitais conhecerem a cidade. Tudo isso pensando não apenas no hotel delas, mas em toda a rede de turismo da região. Foi a Simone que  nos levou para conhecer a cidade vizinha de Vargem Bonita.

Segundo Simone Dupin, nos arredores de São Roque de Minas há cerca de 50 fazendas que fazem parte do Circuito do Queijo. Nestas propriedades os turistas podem degustar os queijos, além de fazer comprar. Simone Dupin está animada com a 3ª Edição do Festival de Balão de São Roque de Minas. O evento será realizado na sede da Fazenda Capim da Canastra, onde é produzido um queijo premiado no exterior. O festival acontecerá entre 8 e 12 de julho de 2020.

Na Fazenda Capim da Canastra há área de camping. Além dos passeios de balão, o público poderá saborear pratos por vários chefs brasileiros, além de vários shows que estão sendo programados – com presença confirmada de Nando Reis nesta edição.

 

Confira as melhores experiências para a sua viagem para Israel e Jordânia

Além do turismo religioso Israel tem lugares incríveis como o Mar Morto, a Fortaleza da Masada, Deserto de Naguev, Eilat no mar Vermelho e a cosmopolita Tel Aviv.

Depois da viagem de 12 dias em Israel e na Jordânia, os amigos Ricardo Murta e José Roberto Prata decidiram compartilhar essa experiência em um post especial para os leitores do Tudo Viagem. Você terá as melhores dicas de passeios, informações sobre o transporte, dicas de segurança e dos hábitos dos moradores desta região.

Logo na chegada fomos recepcionados com um deslumbre arquitetônico e de estonteante beleza que é o aeroporto Bem Gurion em Tel Aviv, mas também o processo de imigração pode ser um pouco chato em razão da intensa segurança praticada em Israel. Brasileiros não necessitam de visto para entrar em Israel e em vez de um carimbo no passaporte as autoridades de imigração nos fornecem um visto em papel separado.

Isso facilitará as suas entradas futuras em países que não tem relações diplomáticas com Israel. Israel para o turista é muito seguro, embora é comum passar em revista em detectores de metal para entrar em estações de trem, shoppings, rodoviárias, mas não se assustem em perceber uma forte presença bélica, pois se deve levar em consideração a complexidade histórica, religiosa e geopolítica do país.

Língua

Em Israel a língua oficial é o hebraico e na Jordânia é o árabe. Para o turista que fala inglês não vai ter dificuldade pois em Israel a maioria fala inglês e na Jordânia também nos pontos turísticos mais importantes. As pessoas geralmente são bem receptivas e prontas para nos ajudar e dar informações.

Transporte

É muito fácil se locomover no país, seja de ônibus ou trem. Mas fique atento ao Shabat Shalom que significa “Sábado de Paz”. O período do Shabbat começa ao pôr do sol de sexta-feira e termina ao pôr do sol de sábado. Durante esse período o país literalmente para. E caso esteja chegando neste período vai ter que pegar um táxi caso não tenha um transfer. Se alugar um carro, o país tem excelentes rodovias.

Moeda:

A moeda em Israel é o Shekel (NIS em português ou ILS em inglês). Leve dólar ou leve euro se for visitar algum país da Europa. Na Jordânia a moeda é o Dinar Jordaniano (JD).

Além do turismo religioso Israel tem lugares incríveis como o Mar Morto, a Fortaleza da Masada, Deserto de Naguev, Eilat no mar Vermelho e a cosmopolita Tel Aviv.

Chegamos inicialmente em Tel Aviv e de lá fomos de ônibus para Eilat, um luxuoso balneário no extremo sul de Israel no mar Vermelho, dentre as atrações há praias e mergulhos.

Jordânia

Atravessamos a fronteira de Israel em Eilat para a Jordânia. Já em Aqaba, depois do almoço tipicamente árabe, fomos para o deserto de Wadi Rum. O país possui várias atrações, mas focamos em duas: o deserto de Wadi Rum e Petra.

Deserto de Wadi Rum na Jordânia.

O deserto de Wadi Rum é de um tom avermelhado deslumbrante, cenário de Perdidos em Marte e Lawrence da Arábia. Um lugar único de tirar o fôlego e que nos arremete a sensação de estar num outro planeta. No acampamento beduíno o jantar é exótico, o céu é o mais estrelado, o narguilé e a música instrumental ao vivo nos faz sentir em uma atmosfera muito especial. Os passeios de pick up 4X4 nas areias do deserto e de andar de camelo com o pôr do sol é simplesmente fantástico.

Já Petra é uma cidade arqueológica esculpida em rocha do antigo povo nabateu e que foi uma importante rota comercial e sede de uma sofisticada cultura para a época. À medida que adentramos à cidade por entre os rochedos vamos nos surpreendendo com a descoberta de suas belezas, como a “Câmara do Tesouro”, que é um templo encravado na rocha. Ao explorar a cidade muitas surpresas vão sendo reveladas.

Da Jordânia voltamos a Tel Aviv e iniciamos um passeio pelos principais sítios históricos e religiosos dos quais visitamos: Jafa, cidade portuária de mais de 3 mil anos vizinha a Tel Aviv. Cesária, preserva as ruinas do império romano. Haifa com uma espetacular beleza dos jardins Bahai. Acre: impressionante conhecer a base dos cruzados. Nazaré: conhecer a basílica da anunciação e ver diversas representações de nossa senhora de vários países e a carpintaria de José foi comovente.

Na região do mar da Galileia nos hospedamos em Tiberíades. Foi emocionante fazer o passeio de barco como na época de Jesus. Visitamos o Monte Tabor onde ocorreu a transfiguração de cristo, Tabgha, local da multiplicação dos pães e peixes. Monte das Bem-aventuranças onde Jesus proferiu o sermão da montanha. Magdala, cidade onde Maria Madalena nasceu. Cafarnaum, cidade bíblica onde Jesus também viveu e ensinou. Safed, cidade mística sede mundial da cabala. Yerdenit, local do batismo no Rio Jordão.

Do mar da Galileia, seguimos para Jerusalém, passando pelas plantações às margens do rio Jordão e por Jericó, uma das cidades mais antiga do mundo. Bem próxima à Jerusalém fica em Belém a basílica da Natividade, segundo local mais visitado na Terra Santa. É um grande complexo formado pela Basílica de Santa Catarina, Igrejas Armênia Ortodoxa, Mesquita do Califa Omar, Gruta do Leite etc. O ponto alto foi visitar a manjedoura onde Jesus nasceu.

Masada e Mar Morto

No dia seguinte fomos de Jerusalém para a fortaleza de Masada, construída pelo rei Herodes. Lugar impressionante pela arquitetura ousada para os padrões da época, pela beleza cênica e principalmente pela sua importante história para o povo judeu. O lugar serviu de refúgio para um grupo de judeus quando Jerusalém foi tomada e o segundo templo foi destruído por volta de 70 pelos romanos.

Os romanos após um longo tempo e duras tentativas conseguiram penetrar em Masada, mas o que encontraram foi um cenário de um suicídio coletivo e prova disso foram as provisões deixadas expostas. Os judeus preferiram a morte à escravidão. Atualmente Masada é onde os soldados israelenses juram obediência à bandeira e bradam a metáfora de Masada à situação geopolítica atual do país: “Masada nunca mais cairá”.

Fortaleza de Massada do rei Herodes e Mar Morto

De Masada foi hora de refrescar nas salgadas águas do mar morto. Muito legal boiar. Um mar único a 400 metros abaixo do nível do mar e com uma altíssima concentração de sal. Experimentar o conforto de boiar observando as montanhas de Moab na Jordânia e o deserto da Judéia é sem dúvida uma deliciosa e privilegiada sensação.

Jerusalém

Cidade sagrada para as três religiões monoteístas do mundo, Judaísmo, Islamismo e Cristianismo, Jerusalém é um caldeirão de cultura, povos de diferentes credos e etnias que convivem juntos, embora a sua importância para a fé tem feito local de conflitos e guerras que acontecem até os dias atuais. A nossa primeira vista da cidade foi do monte das Oliveiras em que é possível avistar a esplanada das mesquitas com uma fabulosa vista do domo dourado, local onde foi o 1º e 2º templos, as muralhas e os cemitérios muçulmano e judeu. Em seguida visitamos o jardim de Getsêmani e igreja de Todas as Nações.

Misteriosa e enigmática tornou-se centro de peregrinação de fiéis de todo o mundo e de várias religiões. Por isso, é fascinante estar em meio de suas ruelas com peregrinos fazendo o trajeto da Via Dolorosa, sentindo os cheiros das especiarias, comidas, doces, apreciando os artesanatos e bugigangas, ouvindo os gritos dos vendedores, vendo os muçulmanos em suas lojas fazendo as orações no momento da reza, desviando dos judeus ortodoxos sempre apressados, dos carrinhos de mercadorias disputando espaço e observando os rostos de pessoas de todo o mundo é como fazer parte da história marcante da vida da frenética Jerusalém.

Visitamos o Cenáculo, local da última ceia, o túmulo do rei Davi e em seguida fizemos o trajeto da via Dolorosa cujas últimas estações estão no Santo Sepulcro, local mais visitado na Terra Santa. Hoje, a Basílica é dividida entre 5 igrejas: a Católica Romana, Ortodoxa, Armênia, Ortodoxa Copta, Ortodoxa Siríaca e Ortodoxa Etíope. Também é um local que estimula a emoção pela história e pela suntuosidade do templo.

Outro impressionante local sagrado é o Muro das Lamentações que é de grande importância para o povo judeu. E diante de toda a história do povo judeu somos tomados pela emoção. Outros lugares que visitamos foram o museu de Israel onde estão os manuscritos do mar morto e maquete de como era Jerusalém da época de Jesus. E também o museu do holocausto.

Basílica de Santo Supulcro.

A Terra Santa é riquíssima em cultura e história e esse foi o nosso relato de uma insólita experiência nesta sagrada cidade e em toda a Terra Santa. Espero que você ao viajar a Israel e Jordânia possa também usufruir intensamente de seus encantos.

Como foi a viagem

A viagem foi pela Ethiopian Airlines de São Paulo com uma conexão em Adis Abeba. 3.100 reais ida e volta preço promocional. Nós compramos os passeios terrestres da operadora Genises Tour pela agência Mytour. A viagem à Jordânia foi pela Mantis Tour, de Israel (comprei pela internet).

A LATAM oferece voo direto de Guarulhos para Tel Aviv com opções de embarque para passageiros de várias cidades. Acesse aqui a página da companhia

Acesse aqui o site da Genesis Tour

Texto de Ricardo Murta

Fotos de José Roberto Prata

4 passeios imperdíveis em Mendoza com a Brasileiros em Ushuaia

Pela Rota Internacional Nº 7, o passeio leva até Potrerillos, Uspallata e vale com lindos montes coloridos, até a Cordilheira dos Andes.

Operadora líder absoluta no atendimento de turistas brasileiros na Patagônia argentina, a Brasileiros em Ushuaia incluiu mais um destino em seu portfólio. Os passeios turísticos em Mendoza são os mais novos produtos na rede de serviços da empresa.

Para visitar essa que é a maior região produtora de vinhos da América do Sul, os clientes terão assistência completa da equipe da operadora, especialista em recepcionar turistas brasileiros nos principais destinos da Argentina. Só nos últimos cinco anos, foram mais de 100 mil brasileiros atendidos de forma profissional e competente pela Brasileiros em Ushuaia.

Com mais de mil vinícolas de todos os tamanhos e o incrível panorama dos Andes como moldura, Mendoza é um destino que une a beleza de paisagens nevadas com o enoturismo. Seu terroir de alta qualidade é responsável pela produção de vinhos apreciados no mundo todo. Saiba quais passeios você não pode deixar de fazer em Mendoza:

Vinícolas

As visitas às chamadas “bodegas” no Valle Central incluem passeio pelos vinhedos e degustação dos mais prestigiados vinhos. Junto ao guia, o grupo visitará diferentes vinícolas, desde as mais tradicionais até às mais modernas.

Tour pelos Andes

Pela Rota Internacional Nº 7, o passeio leva até Potrerillos, Uspallata e vale com lindos montes coloridos, até a Cordilheira dos Andes. Depois, segue ao centro de esqui Los Penitentes e à Puente del Inca, com suas fontes de águas termais e sulfurosas. No caminho, há um mirante do Cerro Aconcágua, a maior montanha do mundo fora da Ásia, com 6.962 metros. O caminho continua até Las Cuevas, última cidade Argentina antes da fronteira com o Chile.

Cânion do Atuel

Passeio em direção às terras do sul, por Luján, Tunuyán, San Carlos e chegada a San Rafael, a 230 km da cidade de Mendoza. Visite a ilha do rio Diamante e o Cânion do Rio Atuel, com sua inacreditável combinação de cores e formas. No Dique Valle Grande, a beleza rústica da montanha permite descobrir formações rochosas como El Fantasma, Valle de los Monges Perdidos e Mesa das Brujas. A última parada inclui o complexo hidrelétrico El Nihuil.

City tour

Além das belas paisagens ao redor, também vale conhecer a própria cidade de Mendoza. O passeio começa pela cidade antiga e segue para Alameda Microcentro, Bairro Cívico, Parque General San Martin, Cerro da Gloria, Estádio Mundialista e anfiteatro Frank Romero Day, cenário do ato central da Festa Nacional da Uva.

Sobre a Brasileiros em Ushuaia

A Brasileiros em Ushuaia é a empresa especialista em roteiros pelo Fim do Mundo e pela Patagônia argentina. Além de já ter atendido ao longo de seus cinco anos de operação mais de 100 mil turistas, em sua maioria brasileiros, tem uma equipe composta de profissionais que estão aptos a atender qualquer demanda dos visitantes.

Texto de Claudio Oliva

Mais informações: www.brasileirosemushuaia.com.br

Garanta aqui sua hospedagem em Mendoza

Vai viajar no inverno? Conheça Monte Verde, a Suíça brasileira

Distrito da cidade de Camanducaia no Sul de Minas de Gerais, a cidade fica a 164 Km de São Paulo.

Durante décadas o destino mais procurado pelos casais românticos foi Campos do Jordão, em São Paulo. O clima de montanha e o charme da cidade sempre encantaram, porém Monte Verde, distrito da cidade de Camanducaia no Sul de Minas de Gerais, a 164 Km de São Paulo, tem sido descoberta a cada inverno não só por casais, mas por famílias que buscam uma maior proximidade com a natureza somando ainda a boa gastronomia e uma pitada de aventura.

Com o título de Suíça Brasileira, Monte Verde surgiu de uma fazenda de propriedade da família Grinberg chegou ao Brasil em 1913, junto a outros tantos imigrantes da Letônia, que encontrou na Serra da Mantiqueira um clima parecido com sua cidade natal. Aos poucos a Vila de Monte Verde foi se formando, com a construção de casas de veraneio de
patrícios dos Grinberg.

O difícil acesso ao topo da montanha que levava ao vilarejo era um impedimento aos turistas,  chegando por lá apenas aventureiros em 4×4. Há cerca de dez anos, com o asfaltamento da estrada, Monte Verde passou a ser um dos destinos mais procurados principalmente no inverno, onde a temperatura chega a facilmente a dez graus negativos.

Na única avenida com cerca de doze quarteirões é o ponto de encontro, onde é possível comprar malhas, chocolates artesanais, restaurantes internacionais com pratos típicos europeus com destaque para o irresistível foundue em todas as suas variações.

A cadeia de montanhas que cerca a cidade é outra grande atração. São mais de sete trilhas que vão desde as mais leves para atletas de fim de semana as mais radicais que levam o visitante ao cume presenteando com vistas deslumbrantes.

Pousadas não faltam em Monte Verde, mas o destaque é a Estalagem Wiesbaden, com apenas oito chalés, cada um com uma decoração diferente e com muito luxo, mas em todos o hospede vai poder desfrutar de varanda, lareira, ofurô, jacuzzi dupla e um café da manhã dos sonhos, que é servido até as 16h no local que escolher ( piscina, apartamento, varanda, jardim).

Texto de Patricia de Campos

Faça aqui a sua reserva na Estalagem Wiesbaden

Garanta aqui sua hospedagem em outros hotéis e pousadas em Monte Verde

 

Bariloche se prepara para receber os turistas durante Outono

A cidade ganha tons de marrom e vermelho, as temperaturas ficam mais amenas e as pessoas na grande expectativa para a alta temporada.

Quem não curte temperaturas baixas não pode deixar de visitar Bariloche no Outono, estação com temperaturas mais amenas. É uma experiência imperdível, oportunidade para conhecer a cidade, descobrir a beleza de seu do pôr do sol e a vasta gama de cores que apresentam seus bosques: montanhas na cor de marrom e amarelo repletas de árvores com folhas avermelhadas, como as Lengas e Álamos.

Percorrer o Circuito Chico, chegar à base do Monte Catedral, visitar o bar de gelo, estar em contato com a natureza e muito, muito mais deve entrar no roteiro de quem se aventura até a região, entre os meses de março e junho. Viva a experiência completa de Outono e, quem sabe, você até tem a sorte de ver a primeira nevasca do ano?

A estação começa, exatamente, no dia 20 de março, e marca o início da queda das temperaturas na cidade. Nos dois primeiros meses do ano, os termômetros chegam a marcar até 30 graus. Já no início do Outono o clima já fica mais ameno, com máximas de até 25 graus.

Em junho, quando termina a estação, a temperatura máxima não chega a 5º graus, que é quando podem acontecer as primeiras nevascas, já preparando a cidade para a temporada de inverno.

Para celebrar a Semana Santa e a Páscoa, a cidade sedia o Festival do Chocolate, que acontece de 18 a 21 de abril. Fora do festival, a cidade abriga diversas chocolaterias em uma única rua, a Calle Mitre, onde os visitantes se deliciam com essa iguaria, que é uma das especialidades da região.

Um passeio completo (e quase que obrigatório) para conhecer Bariloche de uma ponta a outra é o Circuito Chico. O roteiro começa no centro da cidade, seguindo pela margem sul do lago Nahuel Huapi, avançando pela avenida Bustillo, você encontra o Club Regatas na altura do quilômetro 20 – é lá onde fica a península de San Pedro. O circuito segue para a península Llao Llao, passa pela Villa Tacul, depois pelo Lago Moreno, onde é possível conhecer a Colonia Suiza, um pedaço da Suiça em Bariloche.

GARANTA AQUI PASSAGENS PARA BARILOCHE

ACESSE AQUI AS PROMOÇÕES DE HOTEL EM BARILOCHE

Confira as opções de passeios na sua viagem para o Chile

As companhias LATAM, Gol e Avianca Brasil oferecem voos do Brasil para Santiago.

Um destinos de externos, com o frio congelante da neve e o calor escaldantes dos vulcões. Assim é viajar pelo Chile! Um destino apaixonante, que, para ser explorado a fundo, leva várias viagens. Localizada entre o oceano Pacífico e a Cordilheiras dos Andes, o país oferece ao turistas paisagens dignas de filma, consideradas as mais lindas de todo o continente sul americano. Para saber mais sobre o destino, é só baixar o aplicativo no decolar.com !

Disponível também para iOS na Decolar, o aplicativo oferece as melhores passagens, hospedagens e programações! Lá, você encontra as melhores atrações da capital Santiago, por exemplo. Além ter o contato com o melhor da culinária chilena – e dos vinhos, é claro – Santiago você faz uma viagem pela história do país! O Palácio Real e o Museu Nacional, que ficam na Plaza de Armas são paradas obrigatórias!

Já Ao norte, é imperdível o contato com as terras áridas do deserto do Atacama, que são comparadas ao solo do planeta Marte. Já quem passear pela região sul do país, encontram um Chile gelado e com paisagens completamente diferentes!

Um dos melhores passeios é pela reserva de Huilo Huilo. Uma reserva de cachoeiras de mais de 50 metros de altura, com um bosque que abriga uma enorme variedade de flora e fauna únicas no mundo. São mais de de 250 quilômetros de caminhos que podem ser explorados por você!

As companhias LATAM, Gol e Avianca Brasil oferecem voos do Brasil para Santiago. A partir desta segunda-feira (05/11) a Sky Ailine, empresa chilena de baixo custo, começa a oferecer voos de Santiago para o Rio de Janeiro, São Paulo e Florianópolis.

 

Confiras as opções de passeios na cidade de Angra dos Reis

O município é formado por nada menos do que 365 ilhas, todas rodeadas pela Mata Atlântica e pela areia fina e barquinha como a neve!

O verão está se aproximando e logo vem a cabeça os 40 graus do Rio de Janeiro, não é mesmo? Mas que tal aproveitar também outras cidades do estado tão bonitas quanto a capital? A apenas 150 quilômetros da cidade do Rio de Janeiro, o município de Angra dos Reis é um dos destinos mais belos de todo o litoral do país! Então já fique de olho nas nossas dicas, reserve sua pousada e aproveite tudo que esse destino oferece!

O município é formado por nada menos do que 365 ilhas, todas rodeadas pela Mata Atlântica e pela areia fina e barquinha como a neve! A água do mar impressiona: um verde claro que se mistura com o azul e deixa a paisagem ainda mais bonita. Várias pousadas em Angra dos Reis oferecem programações para os turistas, quase todos náuticos!

O passeio mais famoso é o das escunas, que percorrem toda a baía e as ilhas da região. As mais visitadas são a Ilha Grande e a Ilha da Gipoia! Basta alugar um barco, ou uma lancha, e escolher o seu trajeto! E para quem gosta de aproveitar a noite, a Ilha Itanhangá é uma opção, a ilha recebe vários eventos durante todo o ano. Para quem viaja a Angra, vale também conhecer o centrinho da cidade, onde ficam o Mercado Municipal e o Museu da Arte Sacra.

 

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com