Vai viajar no inverno? Conheça Monte Verde, a Suíça brasileira

Distrito da cidade de Camanducaia no Sul de Minas de Gerais, a cidade fica a 164 Km de São Paulo.

Durante décadas o destino mais procurado pelos casais românticos foi Campos do Jordão, em São Paulo. O clima de montanha e o charme da cidade sempre encantaram, porém Monte Verde, distrito da cidade de Camanducaia no Sul de Minas de Gerais, a 164 Km de São Paulo, tem sido descoberta a cada inverno não só por casais, mas por famílias que buscam uma maior proximidade com a natureza somando ainda a boa gastronomia e uma pitada de aventura.

Com o título de Suíça Brasileira, Monte Verde surgiu de uma fazenda de propriedade da família Grinberg chegou ao Brasil em 1913, junto a outros tantos imigrantes da Letônia, que encontrou na Serra da Mantiqueira um clima parecido com sua cidade natal. Aos poucos a Vila de Monte Verde foi se formando, com a construção de casas de veraneio de
patrícios dos Grinberg.

O difícil acesso ao topo da montanha que levava ao vilarejo era um impedimento aos turistas,  chegando por lá apenas aventureiros em 4×4. Há cerca de dez anos, com o asfaltamento da estrada, Monte Verde passou a ser um dos destinos mais procurados principalmente no inverno, onde a temperatura chega a facilmente a dez graus negativos.

Na única avenida com cerca de doze quarteirões é o ponto de encontro, onde é possível comprar malhas, chocolates artesanais, restaurantes internacionais com pratos típicos europeus com destaque para o irresistível foundue em todas as suas variações.

A cadeia de montanhas que cerca a cidade é outra grande atração. São mais de sete trilhas que vão desde as mais leves para atletas de fim de semana as mais radicais que levam o visitante ao cume presenteando com vistas deslumbrantes.

Pousadas não faltam em Monte Verde, mas o destaque é a Estalagem Wiesbaden, com apenas oito chalés, cada um com uma decoração diferente e com muito luxo, mas em todos o hospede vai poder desfrutar de varanda, lareira, ofurô, jacuzzi dupla e um café da manhã dos sonhos, que é servido até as 16h no local que escolher ( piscina, apartamento, varanda, jardim).

Texto de Patricia de Campos

Faça aqui a sua reserva na Estalagem Wiesbaden

Garanta aqui sua hospedagem em outros hotéis e pousadas em Monte Verde

 

Parque dos Pireneus abriga nascentes, mirantes, cachoeiras, veredas e trilhas

O Pico dos Pireneus, ponto culminante da região e um dos locais mais visitados, possui 1.385 metros de altitude.

Pirenópolis, que fica a 129 quilômetros de Goiânia, abriga parte da área onde fica o Parque dos Pireneus. Criado em 1987, com o objetivo de preservar a fauna, a flora e as várias mananciais existentes na região, o parque possui uma área de 2.833,26 hectares, e fica a 20 km da cidade de Pirenópolis. Os outros municípios que fazem parte do parque são Cocalzinho de Goiás e Corumbá de Goiás.

O Parque tem como principais características as formações rochosas em arenitos e quartzitos. A região é coberta de vegetação de cerrado, sendo, a maioria, o cerrado rupestre. São nascentes, mirantes, cachoeiras, formações geológicas, veredas, trilhas e campos de altitude. Pode-se notar variados tipos de vegetação, como buritizais, matas ciliares e de galerias.

O Parque Estadual da Serra dos Pireneus é um local ideal para praticar esportes em meio à natureza. O Pico dos Pireneus, ponto culminante da região e um dos locais mais visitados, possui 1.385 metros de altitude. Não é cobrada taxa para visitação. As pousadas em Pirenópolis já estão com promoções para quem pretende viajar para a região no  inverno que começa no dia 21 de junho.

A melhor forma para chegar ao parque é seguir pela Estrada dos Pireneus, contendo trecho de 17 km de estrada de terra. Aconselha-se que os visitantes estejam acompanhados de um guia turístico, pois não há placas indicativas e nem trilhas demarcadas para os mais belos recantos deste parque. Os horários são: das 08h às 17h (horário normal) e das 09h as 20h (horário de verão)

É aconselhável a presença de um guia de turismo local, apesar de não ser obrigatória, Há guias especializados no Centro de Atendimento ao Turista) em Pirenópolis que fica na Zona Rural, Pirenópolis.

Conheça os 10 destinos no mundo e no Brasil mais acolhedores

Com base no volume de propriedades que vão receber o prêmio, pela primeira vez foram feitas listas dos lugares mais acolhedores do mundo, de acordo com avaliações dos hóspedes.

O Rio de Janeiro é o estado com maior número de cidades que parecem na lista top 10 de mais acolhedoras do Brasil. A revelação é da Booking.com, uma das principais plataformas digitais de viagem do mundo, que todos os anos premia as propriedades parceiras que oferecem os melhores serviços aos hóspedes. Isso significa que os locais escolhidos receberam as melhores notas pelo atendimento prestado com o “Guest Review Award”.

No Brasil o estabelecimento que aparece no topo da lista é o  Rancho Otto, em Rancho Queimado, em Santa Catarina. (Confira lista completa no final). Com base no volume de propriedades que vão receber o prêmio, pela primeira vez foram feitas listas dos lugares mais acolhedores do mundo, de acordo com avaliações dos hóspedes.

Países mais acolhedores

  • Áustria
  • República Tcheca
  • Polônia
  • Nova Zelândia
  • Taiwan
  • Romênia
  • Hungria
  • Irlanda
  • Sérvia
  • Grécia.

Destinos mais acolhedores

    • Goreme (Turquia)
    • Slunj (Croácia)
    • Eluanbi (Taiwan)
    • Niagara on the Lake (Canadá)
    • Lake Tekapo (Nova Zelândia)
    • Bendigo (Austrália)
    • Newport (Estados Unidos)
    • Nozawa Onsen (Japão)
    • Fernando de Noronha (Brasil)
    • El Chalten (Argentina)

Cidades brasileiras mais acolhedoras

  • Fernando de Noronha (Pernambuco)
  • Penedo (Rio de Janeiro)
  • Monte Verde (Minas Gerais)
  • Cunha (São Paulo)
  • Itaipava (Rio de Janeiro)
  • Santo Antônio do Pinhal (São Paulo)
  • Tiradentes (Minas Gerais)
  • Urubici (Santa Catarina)
  • Visconde de Mauá (Rio de Janeiro)
  • Canoa Quebrada (Ceará).

Nesta sétima edição do Guest Review Awards, que homenageia parceiros que consistentemente oferecem excelentes experiências aos hóspedes, 759.845 propriedades de 219 países e territórios estão recebendo um prêmio, e o Brasil está na lista dos 10 países com maior número de acomodações sendo premiadas.

O Brasil também segue essa tendência da acomodação não-tradicional, já que aqui as pousadas (6958) e os apartamentos (6164) foram as propriedades mais premiadas, seguidos dos hotéis (4382).

Confira os 10 primeiros do Brasil

Itacaré faz sediar Mundial de Surf entre 18 e 21 de outubro

Itacaré fica a 75 quilômetros de Ilhéus, cidade que é atendida com voos da Azul, LATAM,. Gol e Avianca Brasil.

Itacaré, na Costa do Cacau, vai sediar de de 18 a 21 de outubro na Praia da Tiririca, a etapa do Mundial QS1.000 de Surf masculino e feminino. Paralelo ao evento vai acontecer o Itacaré Surf Music, nos dias 19 e 20, com grandes atrações nacionais, a exemplo de Maneva, Ponto de Equilíbrios, Adão Negro., Bruta Raça, Dost e o DJ XFour. A cidade se destaca pelo chame seus estabelecimentos de hospedagem, destaque para a pousada Porto dos Casais.

As pousadas em Itacaré já estão praticamente lotadas com reservas de surfistas e amantes do esporte. De acordo com o coordenador do evento, Cléber Miranda, a expectativa é de que a ocupação hoteleira chegue a 100% no período do mundial, movimentando a economia da cidade. A etapa do mundial de surf vai colocar mais uma vez o município como uma referência internacional do esporte. E o grande diferencial será o apelo para a preservação ambiental.

O prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio, destacou a importância do município sediar mais uma vez esse evento internacional e trazer de volta a etapa também a categoria Feminino. De acordo com o prefeito, Itacaré é hoje conhecida a nível internacional pelo surf e não poderia estar de fora do mundial, não somente pelo incentivo ao esporte, mas pelo retorno que eventos como esse traz para o turismo local, movimentando a economia da cidade, gerando emprego.

Itacaré fica a 75 quilômetros de Ilhéus, cidade que é atendida com voos da Azul, LATAM,. Gol e Avianca Brasil.

Aproveite o feriado para conhecer as cidades da Estrada Real

Uma cidade que não pode faltar no seu roteiro é Ouro Preto, um verdadeiro reduto da história do nosso país.

Quer viajar, mas sem comprometer o orçamento? Então a dica é conhecer pequenas cidades com muito charme e ótimos passeios! Em cidades históricas, por exemplo, são muitas as opções de pousadas baratas e encantadoras! Um dos estados com a maior oferta é Minas Gerais, cortada pela famosa Estrada Real, criada na época do Brasil Império.

Uma cidade que não pode faltar no seu roteiro é Ouro Preto, um verdadeiro reduto da história do nosso país. Ouro Preto fica a 141 quilômetros do Aeroporto de Confins. A viagem de carro dura cerca de duas horas.

Um dos destaques de Ouro Preto é o Museu da Inconfidência e Basílica Nossa Senhora do Pilar que fazem o visitante se sentir no túnel do tempo! Além dos passeios históricos, a cidade também oferece uma grande variedade de restaurantes e bares que bombam durante toda a noite!

No centro, é possível encontrar hoteis baratos de três e quatro estrelas por um preço médio de R$ 215 e os cinco estrelas, por R$ 370! São várias opções de acomodações confortáveis e super, com lareiras para deixar o ambiente ainda mais aconchegantes! Um passeio que pode valer tanto para a família quanto para um casal!

Búzios: de vila de pescadores a point do turismo internacional

Se você nunca foi pergunte a alguém sobre a rua das Pedras. Onde tudo acontece e todos se encontram.

Quem já teve a oportunidade de passar ao menos um fim de semana nesta cidade, com certeza jamais vai esquecer. Talvez isso explique porque tantos estrangeiros que chegaram como turistas adotaram Búzios como morada para o resto da vida. Os hotéis em Buzios tem uma ótima estrutura para receber turitas.

São 23 praias de península, muita gente bonita e um comércio movimentado e – importante, aberto até altas horas da noite na alta temporada. Bares exóticos e requintados, restaurantes – em Búzios há opções para gostos e bolsos variados. Sem esquecer que fica perto de Cabo Frio, onde também há farta oferta de lugares para comer.

Se você nunca foi pergunte a alguém sobre a rua das Pedras. Onde tudo acontece e todos se encontram. É onde ficam os principais restaurantes, barzinhos e lojas de grifes famosas. À noite é quente e pródiga em gente bonita, e a dica é curtir o ambiente ouvindo música ao vivo.
Orla Bardot

A estátua da estrela francesa virou atrativo quase obrigatório desde a inauguração, em 1.999. Em tamanho natural, a escultura da artista plástica Christina Motta, retrata Brigitte da forma despojada como ela costumava andar por Búzios na década de 60.

Caminhar pela Orla Bardot proporciona ao visitante apreciar prédios históricos, casarões coloniais e centenas de barcos ancorados, que dão ao local um charme especial. Outra estátua que faz sucesso ali é a dos Pescadores. Ao final da Orla, fica a Igreja de Sant’Anna, padroeira de Búzios. Há também um longo píer de madeira que avança sobre a baía e também garante boas fotos. É por ele o desembarque na praia que fica no centro de Búzios, local ideal para apreciar o pôr-do-sol. As pousadas em Buzios oferecem várias sugestões de passeios com profissionais credenciados.

Praia de Geribá

É a praia da galera local. Dois quilômetros de extensão e uma larga faixa de areia fina. Geribá, sem dúvida, é um dos points mais badalados da península e dos mais concorridos no reveillon.

Praia da Ferradura

A praia tem o formato de uma ferradura, e é a que mais oferece opções para a prática de esportes náuticos. Existe a possibilidade do visitante alugar pranchas de windsurf, caiaque, pedalinho, laser, pode andar de banana boat, jet ski e tudo o que for a última moda em termos de água e esporte. É a praia preferida das celebridades que frequentam Búzios.

Uma das sugestões de hospedagem é a Pousada FisioBúzios, localizada à Av. José Bento Ribeiro Dantas, 19 (No Google o nº é 6988), Baía Formosa.

 

Ilha Grande oferece 100 praias de águas verdes-azuladas

O local de maior estrutura turística em Ilha Grande é a Vila do Abraão, onde estão o maior número de moradores, pousadas e restaurantes.

Se você estava em dúvida de um local para aproveitar o feriado da Semana Santa a nossa dica é Ilha Grande, em Angra dos Reis, no litoral sul do Rio de Janeiro. Com mais de mais de 100 praias de águas verdes-azuladas, a ilha é cercada por uma vegetação exuberante da Mata Atlântica, trilhas cheias de aventuras, animais silvestres, além de um povo que adora receber os turistas.

O local de maior estrutura turística em Ilha Grande é a Vila do Abraão, onde estão o maior número de moradores, pousadas, restaurantes, e operadoras de mergulho e guias de trilhas. Na ilha só é permitida a entrada de bicicletas. Em Ilha Grande você pode praticar o canyoning (rapel na cachoeira da Feiticeira); o trekking (caminhada), além de esportes aquáticos, entre eles o caiaque e stand up padle.

Uma das comunidades mais visitada em Ilha Grande é Araçatiba, onde a atividade turística e ponto de partida para passeios de barco e ótimas caminhadas ecológicas. A transparência das águas calmas e verdes na maioria do tempo, ideal para a prática de flutuação (snorkel) e o mergulho autônomo, além de remo em canoa ou caiaque. É comum observar peixes diversos, tartarugas, arraias e até golfinhos.

Muitos turistas preferem pousadas em Angra dos Reis, na sede do município, onde a procura é menor, fazendo com que o custo da hospedagem seja mais em conta em relação aos pontos turísticos mais badalados.  Ficando em Angra dos Reis você pode conhecer Paraty, cidade que fica a 96 quilômetros.

 

Conheça o Vale do Cuiabá na região serrana do Rio de Janeiro

O clima ameno da região serrana é perfeito para as trilhas leves na Mata Atlântica e uma conexão profunda com a natureza.

O Vale do Cuiabá é um refúgio rústico na região serrana do Rio de Janeiro, a 75 quilômetros do Rio de Janeiro. A região de Itaipava é cercada pelo verde da Mata Atlântica. É nesta região que fica a Pousada Tankamana, que foi toda reformulada recentemente. A estrada de acesso até a propriedade acaba de ser asfaltasda. A outra novidades é que os chalés passaram por uma atualização recente, com nova decoração assinada pelo arquiteto Ricardo Castelo Branco.

Os chalés estão agora mais sofisticados, modernos, mas sem perder o caráter rústico, confortável e o charme romântico já tradicional para quem visita a Tankamana. O chalé Tanka é o mais afastado e um dos mais desejados por oferecer maior privacidade. As duas varandas com rede se tornam perfeitas para admirar as montanhas no horizonte ou se deliciar com um jantar a dois. A gastronomia é destaque no estilo de vida da Tankamana. A horta orgânica da pousada fornece ingredientes frescos.

Na saída, os hóspedes são presenteados com uma cesta de produtos produzidos no local. O clima ameno da região serrana é perfeito para as trilhas leves na Mata Atlântica e uma conexão profunda com a natureza. Duas piscinas, massagens relaxantes e uma sala de cinema completam a lista de atrativos da pousada. Uma ótima dica de viagem no feriado da Semana Santa.

O centro de Itaipava fica a apenas 25 minutos da Tankamana e é um dos polos gastronômicos mais atrativos do Rio de Janeiro. Já Petrópolis, a Cidade Imperial, fica a uma hora de distância e reconta uma parte da história do Brasil através dos museus e construções singulares, como o Palácio de Cristal e a Casa da Ipiranga. Em Itaipava o turista encontra hoteis em promoção para curtir as belezas da região.

A Pousada Tankamana é operada pelo mesmo grupo responsável pelo Hotel Solar do Império, em (Petrópolis-RJ), além da Pousada Literária, em Paraty. A cidade localizada a 246 quilômetros do Rio de Janeiro e abriga parte da aérea do Parque Estadual da Serra do Mar, uma das maiores áreas de remanescentes contínuos de Mata Atlântica. Você encontra pousadas em Paraty cercadas por montanhas e florestas.

Circo e shows na programação do Verão do complexo Costa do Sauípe

 

O complexo está localizado no meio de uma rota ecológica, com uma extensa orla de praias preservadas pela mata atlântica e de águas quentes.

 

O complexo hoteleiro Sauipe Resorts, localizado a 76 quilômetros do Aeroporto Internacional de Salvador, está com várias novidades para o Verão de 2018. No trajeto até o resort o viajante já se encanta! Sauípe está localizado no meio de uma rota ecológica, com uma extensa orla de praias preservadas pela mata atlântica e de águas quentes.

Entre as novidades para os turistas, Costa do Sauipe vai celebrar a chegada do novo ano com show da banda baiana Olodum e os hóspedes também poderão curtir show pirotécnico de fogos, música ao vivo nas piscinas e projeção com a contagem regressiva para 2018.

Outro destaque é o Circo da Villa, um espaço totalmente tematizado como um grande circo que está montado na Vila Nova da Praia, espaço que funciona como centro comercial, de entretenimento e ponto de encontro dos hóspedes de Sauípe. A programação é temática e intensa, em especial, para a criançada com muitos jogos, shows, atividades circenses e lúdicas, sempre com monitoria e funcionando até às 23 horas.

POUSADAS INCLUSIVE

A partir deste ano o complexo passou a oferecer o novo regime, chamado Pousada Inclusive, oferece na diária todas as refeições e bebidas, além do
acesso e consumo durante o dia na piscina de uma das alas do Sauípe Resorts, proporcionando uma estadia mais completa para o hóspede do Sauípe Pousadas.

Além dos modelos Premium e Pousadas, o destino oferece também Sauípe Resorts, que une toda a estrutura dos melhores hotéis de praia do mundo com a beleza  paradisíaca da Costa do Sauípe. O local é composto por quatro alas que oferecem 10 bares com menu diversificado de bebidas, 1 restaurante por ala com ampla variedade de opções gastronômicas, 10 piscinas, equipe de recreação exclusiva, serviço de babá na Vila Nova da Praia, entre outros.

Um banho de cachoeira ou Rio? Saiba onde ficar e o que fazer em Cabeça de Boi

Quem vai a Cabeça de Boi pela primeira vez escuta pelo menos duas versões sobre seu curioso nome, que, na verdade, é uma espécie de “apelido” para o povoado de Santana do Rio Preto, a 9 km de Itambé do Mato Dentro, em Minas Gerais. Alguns dizem que o vilarejo foi batizado assim por causa da extremidade de uma das serras avistadas do povoado, cuja forma lembraria uma cabeça de boi – apesar de muitos não enxergarem tal figura –; outros dizem que o nome vem de uma fazenda antiga da região. Porém, isso é o que menos importa diante da exuberância da paisagem que o turista contempla logo que chega ao local. 

Cabeça de Boi encontra-se ao sul da serra do Espinhaço, o maciço rochoso que corta os estados de Minas Gerais, Bahia e Piauí. A apenas 130 km de Belo Horizonte e a 47 de Itabira, a região é considerada uma das mais belas do país. Ela engloba o Parque Nacional da Serra do Cipó, a Área de Proteção Ambiental Morro da Pedreira e municípios que fazem parte do circuito Estrada Real. É só aproveitar as passagens aéreas  promocionais e viajar até Confins, na Região Metropolitana de BH. O povoado, de cerca de 80 habitantes, possui uma vista de 360º, pois é totalmente cercado por serras e montanhas. Ele consiste basicamente de uma praça, uma igreja e poucas dezenas de casas. Essas serras abrigam uma grande diversidade de plantas e animais, além de rios e cachoeiras. 
Partindo do povoado, a distância das cachoeiras mais visitadas varia de 4 a 7 km, percurso que pode ser percorrido a pé ou de carro. Lajeado, Entancado e Maçãs são as cachoeiras mais conhecidas. Entre as várias outras opções de passeio, estão a cachoeira do Chiquinho e a serra das pinturas rupestres. As pinturas, com data estimada de 6 a 8 mil anos, são bastante nítidas e muito bem conservadas, e o local onde elas ficam possui uma belíssima vista. 
Quem consegue sobreviver sem celular e sem internet por pelo menos dois dias – lá só tem sinal de uma operadora e assim mesmo só pega em alguns pontos específicos do povoado – pode aproveitar bem o tempo em belas caminhadas e em passeios de bicicleta por estradinhas de terra e trilhas. É importante não esquecer a câmera fotográfica. E, depois de um dia exaustivo de sol e muito exercício físico, nada melhor do que se sentar em uma daquelas vendinhas típicas do interior, tomar uma cerveja bem gelada e saborear uma porção de carne de lata – carne cozida, conservada em banha de porco – ou de banana verde frita. Na pequena localidade você encontra o chip de banana, muito gostoso!
Pousada Serra do Lobo em Cabeça de Boi
BANANA CHIP
Se a fome for maior, há dois restaurantes de comida mineira. A refeição custa R$ 15 pra comer à vontade. Serviços Em Cabeça de Boi, o turista pode se hospedar em uma das cinco pousadas do povoado, com diárias que variam de R$ 140 a R$ 310 por casal, com café da manhã.  Há também a opção de alugar casas, com capacidade para 6 a 10 pessoas e diárias entre R$ 300 e R$ 500. Para chegar ao povoado, a maneira mais fácil é ir pela BR 381 até Bom Jesus do Amparo, seguindo pelos distritos de Ipoema e Senhora do Carmo e pela cidade de Itambé do Mato Dentro. Desta, são apenas 9 km até Cabeça de Boi. Até Ipoema é asfaltado, restando um trecho de 37 km de estrada de terra. Há também a opção de ir para Itabira e, de lá, para Senhora do Carmo e depois Itambé.
Nesse trajeto, o trecho de estrada de terra é menor, cerca de 20km. Seja qual for o caminho, a viagem dura aproximadamente três horas. Pra quem não gosta de dirigir na estrada, existe a possibilidade de ir de ônibus até Itambé do Mato Dentro. Lá, algumas pessoas prestam o serviço de transporte até Cabeça de Boi, cobrando cerca de R$ 30 pela viagem. O ônibus, da viação Saritur, sai da rodoviária de Belo Horizonte diariamente às 8h30 e às 15h45. Aos domingos, o horário da tarde é 17h45.  Agora é só pode aproveitar as passagens aéreas promocionais.

Textos e fotos de Patrícia Melillo, proprietária da Pousada Serra do Lobo.
Contatos: 31-99537-6205

CONTATOS DAS POUSADA

Pousada do Marquinho 31-99559-4944

Pousada do Candinho 31-999017231

Pousada Villa Ventura 31-99735-9933

Zé Agostinho (Aluguel de casas): 31- 3836-5296

ENCONTRE AQUI AS POUSADAS DA REGIÃO

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com