Assista ao vídeo emocionante lançado pela África do Sul sobre como nos reencontraremos quando tudo passar

Voltaremos aos nossos lugares favoritos e descobriremos novos, ao lado das pessoas que amamos , diz trecho da mensagem

O vídeo foi lançado essa semana pelo Turismo da África do Sul faz parte da da campanha “Não viaje agora, para que você possa viajar depois”, e apresenta uma visão realista e emocionante do momento.

Mesmo com uma visão realista e emocionante do momento, a mensagem é positiva, de acalento para as almas em tempos difíceis. “Voltaremos aos nossos lugares favoritos e descobriremos novos, ao lado das pessoas que amamos “, diz trecho da mensagem. Veja vídeo abaixo.

A África do Sul está oficialmente em lockdown, termo amplamente utilizado por diversos países e que significa que as pessoas devem ficar obrigatoriamente dentro das suas casas, com saídas autorizadas apenas para atividades essenciais como ir ao mercado, à farmácia ou aos hospitais. É diferente da situação do Brasil, onde a circulação de pessoas ainda é permitida.

Vídeo de esperança

Circuito Litoral Norte de São Paulo ressalta a importância de adiar viagens para o destino

O consórcio, em conjunto à Setur-SP e ao SEBRAE, já planeja retomada do turismo regional pós-quarentena.

O Circuito Litoral Norte de São Paulo, que integra as cidades de Bertioga, Caraguatatuba, Ilhabela, São Sebastião e Ubatuba, alinhado às secretarias de Turismo de cada município, ressalta a importância de os turistas adiarem suas viagens em decorrência da pandemia do coronavírus.

Além das restrições nas atividades do setor hoteleiro e comercio, comuns em todas as cidades da região, Ubatuba e São Sebastião já anunciaram o bloqueio de suas praias, enquanto Ilhabela restringiu a travessia na balsa.

Segundo o presidente do consórcio, Felipe Augusto, essa paralisação é importante para frear a disseminação do Covid-19, garantindo a segurança e saúde de moradores e visitantes. “É essencial conter o vírus para que, o quanto antes, possamos retomar, com força total, nossos planos de fomento do turismo regional e oferecer o melhor de nossa região aos turistas”, afirma.

Para o secretário de Turismo de Bertioga, Ney Carlos da Rocha, a cidade segue alinhada aos demais municípios da região nas medidas de combate ao coronavírus e pela proteção da população local. “Graças às medidas de contenção de circulação e de aglomerações e outras definidas pela prefeitura, ainda não tivemos nenhum caso confirmado em Bertioga. Em paralelo, tomamos medidas como diferimento de impostos e taxas para ajudar nisso comércio a superar este difícil momento”, ressalta.

De acordo com o representante da pasta em Ubatuba, Potiguara do Lago, a cidade está estudando formas de ajudar as empresas do segmento neste momento de crise, além de divulgar campanhas para que o público adie suas viagens.

“Nós, do Turismo, vivemos para divulgar e atrair turistas para nossa cidade e região, e, nesta situação, estamos trabalhando de forma totalmente inversa. É algo que nunca imaginei viver. Temos que trabalhar como gestores, estarmos atualizados com as novas orientações para atender da melhor forma nossa população. Quando tudo isso acabar, vai ser um prazer receber os turistas e apresentar todas as nossas belezas”, diz o secretário.

Também focada em conscientizar os turistas de que essa não é a melhor hora para visitar o Litoral Norte, Ilhabela vem realizando forte divulgação de vídeos para o público final, além de ações de fomento na economia, como criação de pacotes promocionais em parceria com os empresários locais e produção de uma feira virtual no segmento de casamentos, para impulsionar a cidade como destination wedding.

“Nós entendemos que essa é uma fase difícil e estamos criando pacotes de retomada do mercado e também de ajuda emergencial às empresas do setor, mas também vemos a situação como um momento de reorganizar todo o mercado, reordenar os meios de hospedagem e ajudar as agências de turismo a se fortalecerem”, comenta a secretária de Turismo de Ilhabela, Bianca Colepicolo.

Retomada em parceria com Setur-SP e SEBRAE

Pensando no futuro, o Circuito Litoral Norte já está organizando a retomada de seu planejamento para o pós-quarentena. Em parceria com a Setur-SP e o SEBRAE, que vêm oferecendo ações e alternativas para que o trade turístico possa superar essa crise, o consórcio está focado no fortalecimento do turismo regional para garantir que o setor retome seu crescimento depois da pandemia e o Litoral Norte se mantenha como um dos principais destinos do Estado ao mercado nacional e internacional.

Para o secretário Executivo do Circuito, Gustavo Monteiro esta é uma situação nova, que parou todas as atividades do turismo e afeta diretamente a economia de uma região turística.

“Estamos acompanhando diariamente as orientações do Ministério da Saúde e a união dos municípios consorciados é ainda mais importante, na troca de informações, conscientização e medidas restritivas. Com foco no turismo, estamos apoiando as medidas emergenciais das cidades para apoio ao trade local e cobrando junto às demais regiões turísticas a facilitação de acesso aos benefícios dos governos Estadual e Federal. Isso é fundamental para socorro imediato. Para um segundo momento, também já estamos planejando junto ao SEBRAE e Setur-SP um trabalho de retomada da promoção e fomento ao turismo. Essa fase vai passar e precisamos estar prontos. Acreditamos que as pessoas vão ter ainda mais vontade de visitar nossa região”, reforça Monteiro.

“O Litoral Norte é parte da nossa estratégia de posicionamento do turismo paulista. Nossas ações já estavam desenhadas, junto com o consórcio, e teriam início em março. É importante agora que todos fiquem em suas casas, como forma de contribuir para que esta pandemia passe o mais rápido possível e, assim, tão logo seja possível, retomaremos o nosso planejamento original”, lembra Vinicius Lummertz, secretário de Turismo do Estado de São Paulo.

Segundo a Gestora Estadual de Turismo do SEBRAE, Aline Delmanto Capone, a entidade já vinha atuando para trabalhar o comportamento empreendedor em todos os municípios do Litoral Norte e isso ajuda a melhor o produto turístico regional.

“Vamos intensificar o trabalho com o Investe Turismo, que vai reunir uma série de ações para fortalecer esses empresários, melhorar a gestão, ajudá-los, por meio de consultorias, a melhorar o produto que oferecem e trabalhar programas de acesso ao mercado. Essas ações começam imediatamente após o fim dessa crise do Covid-19. Além disso, vamos montar grandes caravanas com parceiros como a Setur-SP e a equipe técnica do SEBRAE para retomar os negócios no Litoral Norte de São Paulo. Vamos visitar as cinco cidades, conversar com os empresários, identificar suas principais dores e pensar em ações emergenciais que ajudem nessa rápida recuperação”, finaliza.

Confira os vídeos de Ubatuba e Ilhabela:

https://youtu.be/ToH2u8mL_8s 

https://youtu.be/0Q68EVB7b80

Fotos por Pixabay

Munhoz (MG) toma medidas para conter o novo coronavírus

A Prefeitura Municipal de Munhoz, desde o dia 17 de março, tem tomado todas a medidas necessárias ao combate da disseminação do CORONAVIRUS.

Inicialmente, foram suspensas as aulas nas escolas municipais e os atendimentos públicos por prazo indeterminado.

No Turismo, as pousadas foram orientadas para remanejarem as reservas de seus hóspedes para datas futuras ou emitirem vouchers para utilização futura das reservas feitas para os próximos dois meses.

Na sequência, a Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, iniciou uma barreira sanitária nas entradas da cidade a fim de identificar as pessoas que estavam circulando, verificar seu estado de saúde e orientar quanto aos procedimentos sanitários necessários para impedir a disseminação do Covid-19.

No último dia 23 de março, em ação coordenada pela Prefeitura de Munhoz e contando com a participação colaborativa dos comerciantes do município, foi realizado em duas etapas a desinfecção de vias e locais públicos das áreas urbanas da cidade e das áreas urbanas para eliminação de possíveis focos de disseminação do vírus.

Todas as medidas foram todas através da publicação de quatro decretos municipais que se encontram disponíveis no site da Prefeitura Municipal de Munhoz.

As medidas seguem até o momento, com abertura somente dos comércios essenciais, estando em concordância com as determinações do Ministério da Saúde para combater a pandemia e, respeitando assim, o Decreto do Estado de Minas Gerais, bem como da barreira sanitária nas entradas do município para orientação e identificação das pessoas que por ali passam.

Já são 16 mil passageiros repatriados pelo Grupo LATAM

No 1º de abril serão realizadas operações somente para trazer passageiros brasileiros em voos de Joanesburgo-São Paulo/Guarulhos e Lisboa-São Paulo/Guarulhos.

O Grupo LATAM Airlines e suas subsidiárias operaram, 115 voos especiais  até 30 de março deste ano para repatriar passageiros. Até agora retornaram para os seus destinos 16.385 pessoas. No dia 24 de março deste ano eram 10 mil repatriados.

A LATAM informou que desde 19 de março de 2020  conta com o apoio das autoridades para repatriar passageiros que não conseguiram concluir seu itinerário de viagem devido ao fechamento de fronteiras e outras restrições em diversos países causados pela crise de saúde do Coronavírus (COVID-19).

A LATAM programou outros voos especiais, que permitirão o retorno dos passageiros à América Latina partindo de diferentes partes do mundo. No dia 1º de abril serão realizadas operações somente para trazer passageiros brasileiros em voos de Joanesburgo-São Paulo/Guarulhos e Lisboa-São Paulo/Guarulhos.

Também estão programados voos da LATAM de Sydney-Santiago e Auckland-Santiago. Todos esses voos terão com conexão em São Paulo/Guarulhos. Segundo a LATAM, nas últimas semanas, a companhia já repatriou passageiros brasileiros que estavam em Cusco, Lima, Londres, Jamaica, Portugal, Punta Cana, Israel e Santiago.

Frase….

“Repatriar nossos passageiros tem sido nossa maior prioridade na América Latina. Para atingir esse objetivo, contamos com a colaboração ativa das autoridade e com o compromisso de todas as pessoas que trabalham na empresa, que, apesar das difíceis condições, deram uma enorme contribuição a essa causa humanitária”.

Paulo Miranda- vice-presidente de clientes do Grupo LATAM Airlines

Como remarcar os voos

A LATAM reforça ainda que todos os passageiros com voos cancelados não precisam tomar nenhuma ação imediata até serem contatados pela empresa.

O valor de seu bilhete será automaticamente mantido como crédito para futuras viagens ou poderão remarcar a data do seu voo sem nenhum custo e para quando desejarem.

As regras para alterações e outras informações estão disponíveis em https://www.latam.com/pt_br/experiencia/coronavirus/

Casal de Minas Gerais denuncia abandono em El Calafate pela LATAM

LATAM já repatriou 10 mil passageiros em 59 voos

Aeroporto de Congonhas não terá voos comerciais em abril

Desde a sua função, em 1936, foi a primeira vez que as companhias aéreas suspendem voos em Congonhas por queda de passageiros. 

O Aeroporto de Congonhas, alvo de disputadas judiciais das empresas aéreas por slots (autorizações de pousos e decolagens), ficará sem voos em abril, mês de redução da malha aérea das três maiores companhias do Brasil. A suspensão foi provocada pelo coronavírus.

A LATAM chegou a vender passagens de alguns voos partindo da capital paulista, mas nesta terça-feira (31/03) retirou do seu sistema. Com decisão da LATAM, a ponte aérea Rio/São Paulo, uma das rota mais rentáveis do mundo, ficará sem voos comerciais até 30 de abril. Desde a sua função, em 1936, foi a primeira vez que Congonhas fica sem voos por queda na demanda de passageiros.

Atualização: LATAM muda planos e decide manter voos em Congonhas; veja as cidades que terão voos

LATAM muda planos e decide manter voos em Congonhas; veja cidades que terão voos

Na segunda-feira (30/03) o Tudo Viagem mostrou com exclusividade que a LATAM estava vendendo passagens por R$ 4,7 mil nos voos da ponte aérea Rio/São Paulo. Uma fonte da companhia informou que um dos motivos que levou a empresa a desistir de operar em Congonhas é a queda brusca na venda das passagens dos voos de Congonhas.

A concentração das operações da LATAM em Guarulhos ajudaria a reduzir os custos da companhia em período de crise. A Gol vai operar até 30 de abril no Aeroporto de Guarulhos. A companhia vai atender 25 capitais.

A Azul optou em concentrar as suas operações no estado de São Paulo em Campinas, seu principal centro de distribuição de voos no Brasil. No mês de abril a Azul não terá voos em Guarulhos e em Congonhas.

A LATAM informou que nos próximos dias vai divulgar a sua malha aérea, mas não respondeu sobre os voos de Congonhas.

Painel nesta terça-feira (31/03) com os últimos voos da LATAM em Congonhas

História de Congonhas

O Aeroporto de Congonhas foi inaugurado oficialmente no dia 12 de abril de 1936, mas começou a funcionar dois anos antes de provisoriamente. Até o início de março deste ano, antes da crise, operavam em Congonhas as companhias (VoePass), TwoFlez, Azul, MAP Linhas Aéreas, Gol e LATAM.

Congonhas foi construído para substituir Campo de Marte, inaugurado em 1920, e que sempre era alagado. Seu nome é uma homenagem ao Visconde de Congonhas do Campo, Lucas Antônio Monteiro de Barros (1823-1851).

LATAM vende passagens dos voos da ponte aérea Rio/SP por R$ 4,7 mil

 

Hotel no Pantanal lança campanha de conscientização sobre o coronavírus

Preocupação com clientes faz hotel lançar campanha de conscientização

O Lontra Pantanal Hotel, localizado às margens do Rio Miranda, em Corumbá, no Mato Grosso do Sul, especializado em pesca esportiva, começou na segunda quinzena do mês de março uma campanha de conscientização sobre os cuidados a serem tomados durante a pandemia do novo coronavírus de forma original.

“Nossos clientes são pescadores de todo o Brasil, e nos sentimos na obrigação de, em um momento de pandemia mundial, mostrarmos nossa solidariedade e a necessidade de ajudar na conscientização das ações para minimizarmos a contaminação. Resolvemos criar posts com orientações básicas de proteção pessoal e social contra o vírus e divulgamos através das redes sociais, WhatsApp e e-mail para os clientes e grupos de pescadores de todo o Brasil. É nossa forma de mostrar que nos preocupamos com eles, que para nós são mais do que clientes, são amigos.”, diz o Sr. Luiz Carlos Castro, proprietário do hotel.

Com apartamentos com ar-condicionado, frigobar, televisão e wi-fi para casais e grupos, infraestrutura para pesca, como barcos, piloteiros, mini loja e área de lazer com salão de jogos, piscina e restaurante, o hotel é referência na hospedagem de pescadores no estado e mantém posição de destaque entre os melhores hotéis de pesca do país.

Informações em: http://www.lontrapantanalhotel.com.br/

Texto por: Patricia de Campos

WZ Hotel Jardins doa itens de higiene durante quarentena

Dentro do período de quarentena estabelecido pelo Governo de São Paulo para conter o avanço do novo coronavírus em todo o estado, as operações do WZ Hotel Jardins estão suspensas até dia 07 de abril, com possibilidade de prorrogação.

Localizado na Avenida Rebouças, uma das principais vias de São Paulo, o WZ Hotel Jardins realizou na última semana doação de água mineral e de suprimentos de higiene. O gerente geral do WZ Hotel Jardins, Fabio Souza, acompanhou pessoalmente as doações à polícia.

Durante a quarentena, todos os espaços e acomodações do WZ Hotel Jardins passarão por um rigoroso processo de higienização, além de pequenas manutenções. O hotel voltará a funcionar com seu alto padrão de qualidade de sempre assim que for possível e estará pronto para receber seus hóspedes.

O WZ Hotel Jardins é um dos maiores empreendimentos hoteleiros da capital paulista. Além de sediar eventos das mais variadas áreas em seu amplo centro de convenções, possui 320 apartamentos e tem localização privilegiada.

Mais informações: www.wzhoteljardins.com.br

Veja quais cidades terão voos da Azul, LATAM e Gol durante a crise do coronavírus

Serão operados pelas três companhias 723 voos semanais no Sudeste, 153 na região Nordeste, 155 voos no Sul, 135 no Centro-oeste e 75 voos para a região Norte.

As capitais dos 26 estado, o Distrito Federal e  19 cidades do Brasil terão voos das três maiores companhias do Brasil até 30 de abril.  A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) informou que a malha emergencial é 91,61% menor do que a originalmente é operada pelas empresas aéreas. A redução dos passageiros por causa do coronavírus obrigou as companhias a reduzir dua malha.

Pela redução feita por Gol, Azul e LATAM, a queda é de 56,06% das localidades atendidas, passando de 106 para 46. O número de voos semanais passou de 14.781 para 1.241. Serão operados pelas três companhias 723 voos semanais no Sudeste, 153 na região Nordeste, 155 voos no Sul, 135 no Centro-oeste e 75 voos para a região Norte. Veja abaixo a lista de cidades que terão voos.

Segundo a ANAC, a distribuição dos voos atende a preocupação do Governo Federal de manter uma malha que continue integrando o país, com ajustes para que nenhum estado fique sem pelo menos uma ligação aérea. A LATAM terá 483 semanais, Azul 405 e Gol 353 voos da Gol.

Frase….

“A aviação de vários países está parando por completo. O que estamos fazendo no Brasil é porque sabemos que o serviço aéreo é essencial para ajudar o País a superar esse cenário sem precedentes, permitindo o deslocamento de materiais, profissionais de saúde e das pessoas que ainda precisam viajar”. Também participam da ação o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), do Ministério da Economia, e o Ministério da Infraestrutura, que tem buscado junto aos governos estaduais apoio para a iniciativa”

Juliano Noman- Diretor-Presidente da ANAC

Veja abaixo a lista de cidades que terão voos da Gol, LATAM e Azul

Deixou de viajar de avião por causa do coronavírus? Confira todos os seus direitos

Os consumidores ficarão isentos das penalidades contratuais, por meio da aceitação de crédito para a utilização na aquisição de passagem no prazo de doze meses.

Posso pedir reembolso integral do valor das passagens aéreas de uma viagem que tive que cancelar por causa do coronavírus? Posso remarcar o meu voo para qualquer data? Qual o prazo para que a companhia aérea faça o reembolso? Essas são as principais dúvidas dos passageiros no período de cancelamento de voos neste período de crise. Os advogados André Muszkat, sócio do CSMV Advogados,  Livia Dornelas Resende, advogada do CSMV Advogados, vão responder essas dúvidas neste post especial.

Segundo os especialistas, diante do avanço da epidemia no Brasil e em razão do crescimento do número de reclamações formuladas pelos consumidores, os órgãos de defesa do consumidor e as companhias aéreas passaram a atuar em conjunto visando a composição extrajudicial para a resolução dos casos, de modo a evitar prejuízo abusivo aos consumidores, o aumento do índice ações judiciais e eventuais penalidades administrativas.

O Governo Federal publicou no dia 19 de março de 2020 a Medida Provisória nº 925 que prevê medidas emergenciais para a aviação civil brasileira em razão da pandemia do Covid-19. No que se refere ao consumidor, a referida Medida Provisória prevê, em seu artigo 3º, que: o prazo para o reembolso do valor relativo à compra de passagens aéreas será de doze meses, observadas as regras do serviço contratado e mantida a assistência material, nos termos da regulamentação vigente.

Além disso, os consumidores ficarão isentos das penalidades contratuais, por meio da aceitação de crédito para a utilização na aquisição de passagem no prazo de doze meses, contado da data do voo contratado. Cabe destacar que essas medidas são aplicáveis aos contratos de transporte aéreo firmados até 31 de dezembro de 2020.

O Ministério da Justiça e Segurança Pública, por meio da SENACON, o Ministério Público Federal, o Ministério Público do Distrito Federal, a Associação Brasileira das Empresas Aéreas, e as companhias aéreas, TAM, GOL, Passaredo, MAP e Azul, firmaram um Termo de Ajustamento de Conduta (AC), de abrangência nacional, com o fim de estabelecer obrigações para o cumprimento e a observância dos regramentos relativos aos cancelamentos de voos, política de remarcação e reembolsos, em função direta ou indireta da pandemia de Covid-19.

Confira as principais obrigações estabelecidas, referentes às passagens adquiridas até a data da assinatura do TAC

A possibilidade de remarcação, por uma única vez, de voo nacional ou internacional sem a cobrança de taxa de remarcação ou diferença tarifária, respeitados a mesma origem e destino, para os voos operados entre os dias 1 de março de 2020 a 30 de junho de 2020

A possibilidade de remarcação gratuita, para todo o período de validade do bilhete, de voo nacional ou internacional a ser operado no período considerado de “alta temporada” (julho, dezembro e janeiro) e feriados

A possibilidade de remarcação gratuita, para todo o período de validade do bilhete, de voo nacional ou internacional a ser operado no período não compreendido pela “alta temporada” e feriados, ou caso o passageio pretenda remarcar para período “alta temporada” e feriados, estará sujeito ao pagamento de diferença tarifária

A possibilidade de cancelamento de voo nacional ou internacional sem a cobrança de taxa de remarcação ou multas, para voos a serem operados entre os dias 1 de março de 2020 a 30 de junho de 2020, mantendo o valor integral em crédito que será válido por um ano a contar da data do voo

A possibilidade de solicitar reembolso sujeito, contudo, às multas e taxas contratualmente previstas, e o valor residual será restituído em até 12 (doze) meses, a contar da solicitação feita pelo passageiro.

Veja abaixo outras análises do CSMV 

Claramente, todas essas regras estabelecidas e estudos realizados pelos órgãos públicos brasileiros têm por objetivo mitigar a crise do setor da aviação civil brasileira, adotando-se as necessárias medidas para a subsistência das companhias aéreas, diante da situação excepcional instaurada no país e no mundo, ponderando, contudo, a observância dos direitos dos consumidores.

Observe-se que, se por um lado, o Código de Proteção e Defesa do Consumidor estabelece, por exemplo, em seu artigo 14, caput, a responsabilidade objetiva do fornecedor em casos de danos causados aos consumidores por defeitos relativos à prestação dos serviço, noutra vertente, o Código Civil é claro no artigo 393, caput e parágrafo único, que o fornecedor de serviços não será responsabilizado em caso de força maior, ou seja, em situação alheia a sua vontade e que foge a sua previsibilidade, como é o caso da Covid-19.

Com efeito, não é justo que o consumidor seja onerado com taxas ou tarifas, que seriam regularmente cobradas em uma situação de normalidade, se o cancelamento ou o adiamento da sua viagem ocorre por fatores extraordinários, alheios a sua vontade. No entanto, da mesma forma, não é razoável que as companhias aéreas sofram enormes prejuízos financeiros, que possam dificultar a sua manutenção no mercado ou até vir a causar sua a falência, por serem obrigadas, indiscriminadamente, a restituírem a maior parte dos valores pagos pelas passagens aéreas vendidas, em razão de dessa mesma situação de exceção, quando existem alternativas que podem garantir os direitos dos consumidores sem causar danos ainda maiores do que aqueles já sofridos pelas companhias aéreas.

Conforme determinam os artigos 113, 422 e 478 do Código Civil, bem como o artigo 51, IV, do CDC, em momentos delicados como este que o país está vivenciando, é essencial que todas as relações jurídicas, principalmente as que envolve o consumo, sejam pautadas nos princípios da boa-fé e do equilíbrio econômico financeiro dos contratos, evitando-se a todo custo a onerosidade excessiva a qualquer das partes.

André Muszkat é advogado, Mestre em Direito Processual Civil na PUC-SP. É especialista em Direito do Consumidor pela PUC-SP e em Contratos Empresariais pela FGV-GV Law. Sócio do CSMV Advogados responsável pela área Contenciosa Cível, atuante em questões de Responsabilidade Civil, Direito do Consumidor, Recuperação de Crédito e Contencioso Societário.

Lívia Dornelas Resende é advogada Associada atuante no Contencioso Cível, especialista em Ações Coletivas, Direito Civil, Direito do Consumidor e Direito Ambiental do CSMV Advogados. Possui LL.M. em Direito: Litigation pela Fundação Getúlio Vargas – FGV Rio (2015). É Pós-graduada em Direito Público e Privado pela Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro – EMERJ e Bacharel em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

Acesse aqui o site do escritório

 

Vale suspende trem de passageiros Vitória/Minas para barrar o coronavírus

Segundo a Vale, a suspensão é para  contribuir com as ações de contenção à pandemia do COVID-19, o coronavírus.

A Vale suspendeu a circulação do trem de passageiros que faz a ligação de Minas Gerais ao estado do Espírito Santo. Na terça-feira (24/03) o trem que parte de Belo Horizonte e vai até Vitória não circulou, bem como o que sai da capital capixaba. O trem de passageiros Vitória/Minas é o único com operação diária no Brasil e que faz a ligação de dois estados.

O trem Vitória/Minas transporta cerca de três mil pessoas por dia. Entre as cidades prejudicadas com a suspensão estão Ipatinga, João Monlevade, Nova Era, Ipatinga, Governador Valadares e Aimorés.

O trem de de passageiros da Estrada de Ferro Carajás (EFC) também suspendeu as operações. Segundo a Vale, a suspensão é para  contribuir com as ações de contenção à pandemia do COVID-19 (coronavírus).

A Vale também reforçou a higienização dos vagões e limitou a taxa de ocupação. O trem de passageiros que faz a ligação de Itabira a Nova Era também foi suspenso. terá as viagens suspensas.

A Vale informou que está contato com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), órgão federal responsável por regular e fiscalizar a concessão ferroviária para avaliar quando o trem voltará a circular.

Suspensão trem Ouro Preto/Mariana

No dia 14 de março a Vale suspendeu os passeios do Trem da Vale que liga as cidades de Ouro Preto e Mariana.  Os passageiros que tiveram a viagem cancelada têm a opção de pedir o reembolso do bilhete, no prazo de até 30 dias, ou a remarcação da passagem, sem custo adicional, no prazo de um ano.

Os passageiros que tiverem suas viagens canceladas poderão solicitar o reembolso do bilhete, sem custo adicional. Mais informações podem ser obtidas por meio do canal de atendimento Alô Ferrovias (0800 285 7000).

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com