Número de brasileiros que viajou para o Chile em 2018 aumentou 8,1%

Os turistas brasileiros gastam, em média, US$ 104 por dia no Chile, tanto em atividades turísticas quanto em compras, e ficam, também em média, oito dias em suas viagens no país.

Levantamento do Sernatur Serviço Nacional de Turismo do Chile (Sernatur) mostra que em 2018 o número de brasileiros que viajou para o Chile atingiu a marca de 589.172, uma alta de 8,1% contra o ano anterior. É o segundo aumento consecutivo, já que em 2017 (544,8 mil viajantes brasileiros) foi observado um crescimento ainda maior, de 24,1% contra os 439 mil em 2016. Em dois anos o número de turistas do Brasil no Chile teve um acréscimo de cerca de 150 mil.

Do orçamento de US$ 14,1 milhões do Chile para promoção turística internacional neste ano, US$ 2,6 milhões serão investidos no Brasil, 18,44% do total. Isso posiciona o País atrás apenas dos Estados Unidos em investimentos, já que US$ 3,1 milhões (22%) serão revertidos em ações no país norte-americano.

“A expectativa para 2019 é que os turistas brasileiros no Chile ultrapassem, no mínimo, os 600 mil. Sempre vimos o Brasil como um dos mercados prioritários, mas estamos felizes com o crescente interesse do brasileiro, o que nos motivou a ampliar nosso investimento no país neste ano”, comentou Andrea Wolleter, diretora nacional do Sernatur.

Dentro do investimento estão previstos famtours para o trade e mídias, parcerias com operadoras, companhias aéreas e outras empresas do Turismo brasileiro, campanhas publicitária e ainda treinamentos de agentes de viagens.

Brasileiro é o que mais gasta

Ainda de acordo com Andrea, um dos motivos para o Chile apostar tanto no Brasil é o quanto o viajante do país investe em suas viagens. Os turistas brasileiros gastam, em média, US$ 104 por dia no Chile, tanto em atividades turísticas quanto em compras, e ficam, também em média, oito dias em suas viagens no país.

“O viajante brasileiro é um dos que mais investem para aproveitar o máximo sua viagem. Eles optam por boas experiências gastronômicas, de enoturismo e até de compras, o que eles adoram”, explica a diretora do Sernatur.

Confira alguns atrativos do Chile

Uma das estratégias que o Sernatur deve adotar para crescer ainda mais no mercado brasileiro é diversificar os destinos. Hoje, boa parte dos turistas do Brasil visitam Santiago e as belas montanhas da Cordilheira dos Andes da região central do Chile, onde se encontram algumas das mais famosas estações de esqui do país.

As regiões do Deserto do Atacama, no Norte, e da Patagônia Chilena, no Sul, também tem atraído brasileiros, mas o objetivo é ir além: promover os tantos destinos de cultura e natureza que o Chile oferece de norte à sul, graças à sua longa extensão territorial.

Um bom exemplo disso é o Astroturismo do Valle de Elqui, ao norte de Santiago. Com altitude elevada, poucas partículas de poeira e um clima seco, o céu da região é considerado um dos melhores do mundo para observar as estrelas e constelações, e é lá que se encontram algumas das principais estações de observação astronômica do país – o Cerro Tololo, com visitação aberta aos sábados, e o Observatório Gemini, aberto às sextas-feiras, são alguns deles. Vale também conhecer as diversas plantações de pisco no local, bebida típica do país, para degustar o destilado de uvas.

Já entre Santiago e a Patagônia fica a região dos Lagos e Vulcões. Vale o destaque para Futaleufú – “Rio Grande”, na língua indígena Mapuche. Fluindo por entre as montanhas dos Andes, o rio é considerado um dos melhores do mundo para práticas de esportes de aventura, como rafting e caiaque. Trilhas e rotas de bicicletas são as outras opções para conhecer a Reserva Nacional de Futaleufú, podendo assim apreciar os belos cenários que floresta, montanhas e rios oferecem aos visitantes.

Uma alternativa que chama atenção na mesma região é Huilo Huilo, reserva biológica dentro da selva patagônica a pouco mais de 100 km de Pucón. Lagos, cachoeiras e uma vasta floresta com gigantescas árvores da família das Araucárias permite aos visitantes passar dias fazendo trilhas por entre as montanhas, em contato direto com a natureza exuberante e preservada do destino. É possível até se deparar com alguns animais da fauna local, como o Huemul, o cervo andino, que sofre com a ameaça de extinção.

GARANTA AQUI SUAS PASSAGENS COM DESCONTOS PARA SANTIAGO

GARANTA AQUI SUA HOSPEDAGEM COM DESCONTO EM SANTIAGO

 

Turistas brasileiros terão acesso ao Tax Free digital em Portugal a partir deste mês

Todo processo começa no momento da compra em lojas participantes à rede Global Blue, quando o turista apresenta o passaporte e obtém o formulário Tax Free, que dá o direito ao reembolso posteriormente.

A Global Blue, empresa líder mundial na gestão de operações Tax Free, anuncia o início da operação do eTaxFree para turistas brasileiros em Portugal, a partir desse mês. O processo é todo digital e facilita o processo de reembolso do IVA – imposto sobre as mercadorias compradas em solo português, além de evitar filas de espera no balcão da Autoridade Tributária no aeroporto. O processo traz mais conforto e rapidez no balcão da Global Blue.


[read more=”Leia mais…” less=”Recolher”]

Segundo Renato Lira Leite, diretor geral da Global Blue em Portugal, “o eTaxFree traz uma grande vantagem para os turistas, que poderão fazer a validação instantânea do reembolso do IVA nos diversos quiosques eletrônicos disponíveis nos aeroportos portugueses.

Todo processo começa no momento da compra em lojas participantes à rede Global Blue, quando o turista apresenta o passaporte e obtém o formulário Tax Free, que dá o direito ao reembolso posteriormente. A utilização do sistema eTaxFree acontece em um dos quiosques instalados nos aeroportos, nos quais o turista escaneia seu passaporte e cartão de embarque.

O sistema comunica as informações à Autoridade Tributária portuguesa em tempo real e responde com um sinal verde ou vermelho. Com sinal verde, o processo está validado e basta seguir até o balcão da Global Blue para receber o valor do reembolso. No caso de sinal vermelho, é necessário que o turista vá até o balcão da alfândega portuguesa para uma inspeção alfandegária.

BRASILEIROS NAS COMPRAS

A solução digital da Global Blue chega em um momento que o turismo de compras ganha crescente importância para a economia portuguesa, já sendo considerado pela Organização Mundial do Turismo o segmento com maior potencial de crescimento. Dados do Turismo de Portugal mostram que 12% dos turistas que visitam o país são provenientes de países externos à União Europeia e representam 21% do total das receitas turísticas.

Turistas vindos do Brasil, Angola, Moçambique, China e EUA são os mais relevantes no turismo de compras em Portugal. O brasileiro é o segundo que mais consome, atrás apenas do angolano, e gasta em média US$ 276 por compra.

Os chineses, por sua vez, lideram o valor da compra média, com US$ 788. “Este novo sistema contribui para a valorização do turismo local e fará com que os turistas brasileiros levem de Portugal uma experiência ainda mais simples, ágil, cômoda e positiva”, conclui Lira Leite.

GARANTA AQUI DESCONTOS NA COMPRA DAS PASSAGENS PARA PORTUGAL E OUTROS DESTINOS DA EUROPA

 [/read]

Confira a lista de países que não exigem visto de entrada de brasileiros

Para viagens para o Paraguai, Argentina, Uruguai e Chile basta apresentar documento de identidade.

Uma das dúvidas na hora de escolher o destino é saber se o país exige visto de entrada. Preparamos uma lista com a relação dos países que exigem apenas documento de identidade e os que exigem visto. A lista foi produzida com base nas informações do Ministério das Relações Exteriores. Para viagens para o Paraguai, Argentina, Uruguai e Chile basta apresentar documento de identidade


[read more=”Leia mais…” less=”Recolher”]

A lista abaixo informa sobre países e eventual necessidade de visto de turismo ou de negócios para cidadãos brasileiros que possuem passaporte comum. Requisitos para cidadãos brasileiros com passaporte diplomático ou oficial podem variar. Cabe ressaltar, ainda, que a tabela é meramente indicativa, uma vez que dados sobre vistos e entrada em outros países é matéria de decisão soberana dos Estados e pode mudar a qualquer momento, sem nenhum tipo de aviso prévio.

CONFIRA ABAIXO A LISTA COMPLETA

 

 

 

PAÍS

Visto de Turismo Visto de Negócios Observação
Afeganistão Visto exigido Visto exigido
África do Sul Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Albânia Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Alemanha Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Andorra Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Angola Visto exigido Visto exigido
Antígua e Barbuda Dispensa de visto, por até 180 dias Dispensa de visto, por até 180 dias
Arábia Saudita Visto exigido Visto exigido
Argélia Visto exigido Visto exigido
Argentina Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias Entrada permitida com Cédula de Identidade Civil
Armênia Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Austrália Visto exigido Visto exigido
Áustria Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Azerbaijão Visto exigido Visto exigido
Bahamas Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Bangladesh Visto exigido Visto exigido
Barbados Dispensa de visto, por até 180 dias Visto exigido
Bareine Visto exigido Visto exigido
Belarus Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias  OBS: Prazo total de permanência contado a partir da primeira entrada.
Bélgica Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Belize Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias O prazo total de estada não deve exceder 180 dias a cada doze (12) meses, contados a partir da data da primeira entrada.
Benin Visto exigido Visto exigido
Bolívia Dispensa de visto, por até 30 dias Visto exigido Entrada permitida com Cédula de Identidade Civil
Bósnia e Herzegovina Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias O prazo total de estada não deve exceder 180 dias por ano
Botsuana Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Brunei Visto exigido Visto exigido
Bulgária Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Burkina Faso Visto exigido Visto exigido
Burundi Visto exigido Visto exigido
Butão Visto exigido Visto exigido
Cabo Verde Visto exigido Visto exigido
Camarões Visto exigido Visto exigido
Camboja Visto exigido Visto exigido
Canadá Visto exigido Visto exigido
Catar Visto exigido Visto exigido
Cazaquistão Dispensa de visto, por até 30 dias Dispensa de visto, por até 30 dias
Chade Visto exigido Visto exigido
Chile Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias Entrada permitida com Cédula de Identidade Civil
China Visto exigido Visto exigido
Chipre Dispensa de visto, por até 90 dias Visto exigido
Cingapura Dispensa de visto, por até 30 dias Dispensa de visto, por até 30 dias
Colômbia Dispensa de visto, por até 180 dias Dispensa de visto, por até 90 dias Entrada permitida com Cédula de Identidade Civil
Comores Visto exigido Visto exigido
Congo, República Democrática (ex-Zaire)  Visto exigido Visto exigido
Cook Ilhas Visto exigido Visto exigido
Coréia do Norte Visto exigido Visto exigido
Coréia do Sul Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Costa do Marfim Visto exigido Visto exigido
Costa Rica Dispensa de visto, por até 90 dias Visto exigido
Croácia Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Cuba Visto exigido Visto exigido
Dinamarca Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Djibuti Visto exigido Visto exigido
Dominica Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Egito Visto exigido Visto exigido
El Salvador Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Emirados Árabes Visto exigido Visto exigido
Equador Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias Entrada permitida com Cédula de Identidade Civil
Eritréia  Visto exigido Visto exigido
Eslováquia Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Eslovênia Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Espanha Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Estados Unidos Visto exigido Visto exigido
Estônia Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Etiópia Visto exigido Visto exigido
Fiji, Ilhas Dispensa de visto, por até 90 dias Visto exigido
Filipinas Dispensa de visto, por até 59 dias Dispensa de visto, por até 59 dias Esse prazo poderá ser prorrogado por mais 31 (trinta e um) dias, mediante solicitação às autoridades filipinas competentes, preenchidos os requisitos estabelecidos pelas leis e regulamentos do país
Finlândia Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
França Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Gabão Visto exigido Visto exigido
Gâmbia Visto exigido Visto exigido
Gana Visto exigido Visto exigido
Geórgia Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até um ano.
Granada Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Grécia Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Guatemala Dispensa de visto, por até 90 dias Visto exigido
Guiana Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Guiana Francesa Visto exigido Visto exigido
Guiné Visto exigido Visto exigido
Guiné-Bissau Visto exigido Visto exigido
Guiné-Equatorial Visto exigido Visto exigido
Haiti Dispensa de visto, por até 90 dias Visto exigido
Honduras Dispensa de visto, por até 30 dias Dispensa de visto, por até 30 dias
Hong Kong Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Hungria Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Iêmen Visto exigido Visto exigido
Índia Visto exigido Visto exigido
Indonésia Dispensa de visto, por até 30 dias Visto exigido
Possibilidade de obtenção de visto na chegada ao país, válido por 30 dias e prorrogável por mais 30 dias
Irã Visto exigido Visto exigido
Iraque Visto exigido Visto exigido
Irlanda Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Islândia Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Israel Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Itália Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Jamaica Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Japão Visto exigido Visto exigido
Jordânia Visto exigido Visto exigido
Kiribati, Ilhas Visto exigido Visto exigido
Kuaite Visto exigido Visto exigido
Laos Visto exigido Visto exigido
Lesoto Visto exigido Visto exigido
Letônia Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Líbano Visto exigido Visto exigido
Libéria Visto exigido Visto exigido
Líbia Visto exigido Visto exigido
Liechtenstein Dispensa de visto, por até 90 dias Visto exigido
Lituânia Dispensa de visto, por até 90 dias Visto exigido
Luxemburgo Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Macau Dispensa de visto, por até 90 dias Visto exigido
Macedônia/ FYROM Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Madagascar Visto exigido Visto exigido
Malásia Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Malaui Visto exigido Visto exigido
Maldivas, Ilhas Dispensa de visto, por até 30 dias Visto exigido
Mali Visto exigido Visto exigido
Malta Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Marianas, Ilhas Visto exigido Visto exigido
Marrocos Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Marshall, Ilhas Visto exigido Visto exigido
Maurício, Ilhas Visto exigido Visto exigido
Mauritânia Visto exigido Visto exigido
México Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Micronésia Dispensa de visto, por até 30 dias Visto exigido
Moçambique Visto exigido Visto exigido
Moldova Visto exigido Visto exigido
Mônaco Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Mongólia Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Montenegro Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Myanmar/Birmânia Visto exigido Visto exigido
Namíbia Dispensa de visto, por até 90 dias Visto exigido
Nauru Dispensa de visto, por até 30 dias Visto exigido
Nepal Visto exigido Visto exigido
Nicarágua Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias Há cobrança de taxa de turismo no valor de US$10, com pagamento aceito apenas em papel-moeda.
Níger Visto exigido Visto exigido
Nigéria Visto exigido Visto exigido
Noruega Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Nova Zelândia Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Omã Visto exigido Visto exigido
Países Baixos / Holanda Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Palestina (Autoridade) Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Panamá Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Papua Nova Guiné Visto exigido Visto exigido
Paquistão Visto exigido Visto exigido
Paraguai Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias Ingresso permitido com Cédula de Identidade Civil
Peru Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias Ingresso permitido com Cédula de Identidade Civil
Polônia Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Portugal Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Quênia Visto exigido Visto exigido
Quirguistão Visto exigido Visto exigido
Reino Unido Dispensa de visto, por até 180 dias Dispensa de visto, por até 180 dias
Rep. Árabe Saaraui Democrática (RASD) Dispensa de visto O Brasil não reconhece a Rep. Árabe Saaraui Democrática (Saara Ocidental) como território independente do Marrocos. Para atravessar o território do Saara Ocidental, recomenda-se pedir permissão às Forças Armadas Reais do Marrocos.
Rep. Centro Africana Visto exigido Visto exigido
Rep. Dominicana Dispensa de visto, por até 90 dias Visto exigido Cobra-se taxa de USD 10
(tarjeta turista) na chegada ao país.
Rep. Do Palau Dispensa de visto, por até 30 dias Visto exigido
Rep. Tcheca Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Romênia Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Ruanda Visto exigido Visto exigido
Rússia Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias  OBS: Prazo total de permanência contado a partir da primeira entrada.
Salomão, Ilhas Visto exigido Visto exigido
Samoa Ocidental Dispensa de visto, por até 60 dias Dispensa de visto, por até 60 dias
Santa Lúcia Dispensa de visto, por até 90 dias Visto exigido
S. Cristovão e Nevis Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
São Martinho Dispensa de visto, por até 90 dias Visto exigido
São Tomé e Píncipe Visto exigido Visto exigido
São Vicente e Granadinas Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Senegal Visto exigido Visto exigido
Serra Leoa Visto exigido Visto exigido
Sérvia Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Seychelles, Ilhas Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Síria Visto exigido Visto exigido
Somália Visto exigido Visto exigido
Sri Lanka Visto exigido Visto exigido
Suazilândia Visto exigido Visto exigido
Sudão Visto exigido Visto exigido
Sudão do Sul Visto exigido Visto exigido
Suécia

Dispensa de visto, por até

90 dias

Dispensa de visto, por até 90 dias
Suíça Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias Permanencia máxima de 90 dias, a cada 180 dias.
O prazo de 90 dias será contado a partir da primeira entrada no Espaço Schengen, mesmo que não tenha sido pela Suíça, e a contagem termina após a saída do Espaço Schengen.
Suriname Dispensa de visto, por até 90 dias Visto exigido
Tadjiquistão Visto exigido Visto exigido
Tailândia Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Taiwan Visto exigido Visto exigido
Tanzânia Visto exigido Visto exigido
Timor Leste Visto exigido Visto exigido
Togo Visto exigido Visto exigido
Tonga Dispensa de visto, por até 30 dias Visto exigido
Trinidad e Tobago Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Tunísia Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias
Turcomenistão Visto exigido Visto exigido
Turquia Dispensa de visto, por até 90 dias Visto exigido
Tuvalu, Ilhas Dispensa de visto, por até 90 dias visto exigido
Ucrânia Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias Permanência máxima de 90 dias, a cada 180 dias.
Uganda Visto exigido Visto exigido
Uruguai Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias Ingresso permitido com Cédula de Identidade Civil
Uzbequistão Visto exigido Visto exigido
Vanuatu Visto exigido Visto exigido
Vaticano Dispensa de visto, por até 90 dias Visto exigido
Venezuela Dispensa de visto, por até 60 dias Visto exigido Ingresso permitido com Cédula de Identidade Civil
Vietinã Visto exigido Visto exigido
Zâmbia Visto exigido Visto exigido
Zimbábue Visto exigido Visto exigido

ACESSE AQUI A PÁGINA DO MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES

JÁ ESCOLHEU O DESTINO? FAÇA AQUI SUA COTAÇÃO E GARANTA DESCONTO ESPECIAIS  NAS PASSAGENS DE AVIÃO

[/read]

Governo estuda internacionalização de cinco aeroportos brasileiros. O de Cabo Frio está na lista

Autoridades aeroportuárias brasileiras criaram um grupo para definir as diretrizes para a internacionalização de aeroportos no país. A decisão foi tomada pela Conaero (Comissão Nacional das Autoridades Aeroportuárias), ao constatar que há hoje cinco aeroportos pedindo internacionalização e um pedindo “desinternacionalização” – e nenhuma regra geral para a análise dos pedidos.

O objetivo da Conaero é discutir e estipular as políticas públicas e estratégias para condução do processo. O grupo já está analisando as solicitações dos aeroportos de Sorocaba (SP), Porto Velho (RO), Rio Branco (AC), Cabo Frio (RJ) e do futuro aeroporto Catarina, em São Roque (SP).
Coordenado pela Secretaria de Aviação Civil, o grupo de trabalho é integrado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Infraero, Ministério da Aeronáutica, Ibama, Polícia Federal, Receita Federal, Anvisa (ligada ao Ministério da Saúde) e Vigiagro (ligada e Ministério da Agricultura).
Segundo os integrantes do grupo, a situação desejada é a definição de uma política de internacionalização de aeroportos como estratégia de desenvolvimento regional e nacional; o fortalecimento das estruturas dos órgãos públicos voltadas ao apoio das operações de tráfego aéreo internacional; e a manutenção do atual processo técnico para internacionalização.
Hoje, a situação é a seguinte: o operador aeroportuário solicita aos órgãos públicos (Receita, PF, Anvisa e Vigiagro) um atestado da capacidade de atendimento às operações de tráfego aéreo internacional; na sequência, a Anac analisa os referidos atestados e demais documentações e, caso o operador cumpra as exigências legais, a Anac reconhece o aeroporto como internacional. Os órgãos se queixam da grande quantidade de pedidos e da insuficiência de recursos humanos e logísticos para o atendimento de todos eles.
“A Polícia Federal está em processo de padronização de análise dos pedidos e dos pareceres. Quesitos como inspeção, critérios, requisitos e modelo de instrução normativa ainda estão sendo estudados. Precisamos, também, discutir se a gente aprova o projeto do aeroporto em fase inicial o quando ele estiver quase pronto. Uma vez aprovada a diretriz, vamos ter recursos assegurados para fazer nosso trabalho em aeroportos estratégicos”, afirmou André Zaca Furquim, representante da Polícia Federal no Grupo de Trabalho.
Aeroporto de Porto Velho
O representante da Anac, Luís Gustavo Carneiro, afirmou que é importante que os órgãos saibam como funciona um aeroporto. “Afinal, temos mais de 30 aeroportos com voos internacionais no Brasil. Precisamos para tratar caso a caso e definir quais as portas de entrada e saída do País”, afirmou.
À Receita compete “alfandegar” os aeroportos, ou seja, colocar fiscalização aduaneira. “Há aeroportos, porém, que não justificam o alfandegamento 24 horas por dia”, explicou Antônio Braga Sobrinho, representante do órgão no grupo da Conaero. O aeroporto de Uruguaiana, no Rio Grande do Sul, por exemplo, foi desalfandegado. O mesmo aconteceu com Porto Velho. “Alguns aeroportos pedem a internacionalização, mas não dão condições para o trabalho. Acredito que estão desvirtuando os pedidos de internacionalização. Às vezes, chegam quatro pedidos referentes ao mesmo aeroporto, ao mesmo tempo”, explicou.
Outro problema é como atender a um pedido de internacionalização de um aeroporto que está próximo de outro que já é internacional. Segundo Paulo Possas, diretor de Gestão Aeroportuária da SAC, uma possibilidade que está sendo discutida é alfandegar os aeroportos “sob demanda” – as equipes seriam mobilizadas apenas quando houvesse voos internacionais. Foi o que aconteceu, por exemplo, com o aeroporto de Cuiabá durante a Copa do Mundo.
Ricardo Rocha, também da SAC, afirmou que a ideia é, no primeiro momento, tentar identificar os problemas de cada órgão. “Precisamos saber se os órgãos têm pessoal suficiente para atender às demandas. E se não têm, como é possível atender mesmo assim”, considerou. “Se recebemos a demanda, se há carga para ser transportada e passageiro querendo voar, por que eu não vou atender? Que barreiras que impedem o atendimento?”
*Informações da Secretaria Nacional de Aviação Civil
HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com