Infraero deixa o Aeroporto da Pampulha e entrega administração para o Governo de Minas

A Secretaria de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra), que ficará responsável pela Pampulha, fará a transição com a Infraero até o final deste ano.

A partir de janeiro de 2021 o Aeroporto da Pampulha, localizado a 9 km do centro de Belo Horizonte, passará a ser gerenciado pelo Governo de Minas. Sem nenhum voo comercial desde setembro de 2019, o aeroporto é gerenciado atualmente pela Infraero. Uma fonte do Ministério da Infraestrutura, que delegou a Pampulha para o Governo de Minas, informou que o aeroporto terá um ousado plano de aviação regional. Leia abaixo nota do Governo de Minas sobre o assunto.

A Secretaria de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra), que ficará responsável pela Pampulha, fará a transição com a Infraero até o final deste ano. A Azul tem na Pampulha um hangar de manutenção de suas aeronaves, além de uma boa movimentação dos jatos particulares.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, assinou portaria, nesta quarta-feira (17), em que revoga a atribuição da Infraero de administrar o aeroporto. Um convênio entre o Ministério da Infraestrutura e o Governo de Minas, também assinado nesta quarta, formaliza o processo de transferência, que deve ocorrer até 31 de dezembro deste ano.

“A transferência da gestão do Aeroporto da Pampulha é uma antiga demanda do Governo de Minas Gerais e significa o início do processo de transformação do aeroporto, que possui importância estratégica para o estado”, disse o ministro, durante assinatura da ordem de serviço para obras na BR-367/MG, em evento on-line com a presença do governador Romeu Zema e de deputados da bancada mineira.

Segundo o Ministério da Infraestrutura, as equipes técnicas dos governos federal e estadual já estão trabalhando em conjunto para efetivar a transferência da exploração do aeroporto. O período da outorga será de 35 anos.

De janeiro a junho de 2018 a Pampulha registrou R$ 11,1 milhões em receitas operacionais de janeiro a junho deste ano.  Segundo a Infraero, que gerencia o aeroporto, as despesas operacionais ficaram em R$ 25,8 milhões, gerando prejuízo líquido de R$ 15,7 milhões nos seis primeiros meses do ano. O custo médio mensal das despesas operacionais é de R$ 4,3 milhões.

Nota do Governo de Minas

A delegação do Aeroporto da Pampulha para o Estado de Minas Gerais é resultado do mútuo entendimento entre Estado e União quanto à vantajosidade do modelo para ambos. Com a delegação e futura concessão do aeroporto, o Estado, por meio da Secretaria de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra) busca adotar um modelo eficiente de operação e exploração do aeródromo, que coadune com as políticas de desenvolvimento sustentável da aviação em Minas Gerais e do vetor norte da RMBH. Para tanto, a Seinfra estudará o melhor modelo para operação do aeródromo. Importante destacar que a Infraero continuará responsável pela operação até dezembro de 2020.

1 Comment

  1. Espera-se que esse plano de reestruturação da Pampulha seja capaz de atrair novas empresas não só do setor de aviação mas também de manutenção aeronáutica entre outras

Deixe um comentário Cancelar resposta

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com

Ação não permitida!