Pesquisa vai revelar quantos táxis são necessários em Confins

                                    Bernadete Amado (DER-MG)
Celso Martins
O Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER-MG) vai ainda neste mês pesquisa para saber quantos táxis são necessários para atender a demanda do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).
Atualmente o aeroporto conta com cerca de 400 veículos das cidades de Lagoa Santa e de Confins, além dos táxis especiais do Serviço Metropolitano credenciado pelo DER. Pelo acordo vigente, estes carros podem levar os passageiros do aeroporto até Belo Horizonte, não podendo embarcar um novo cliente pra levar até o terminal. 
Os veículos de Belo Horizonte e Contagem gerenciados pela BHTrans só podem levar o passageiro até Confins, não podendo voltar com as pessoas que estão desembarcando. O diretor de Fiscalização do DER, João Afonso Baeta Costa Machado, admite que a quantidade de carros não é suficiente para atender a demanda de Confins.
Segundo João Afonso Baeta, o levantamento vai servir de argumentos para que sejam feitos contatos com as prefeituras de Lagoa Santa e Confins para que cada município analise a possibilidade de uma nova licitação para aumentar o numero de táxis em Confins.
Com a falta de táxis em Confins, os veículos particulares estão fazendo o transporte clandestino de passageiros os chamados “piolhos”. O nome e é em função dos agenciadores ou dos próprios motoristas que ficam abordando os passageiros no desembarque. Os caros ficam em estacionamentos ou nas imediações do aeroporto.
O DER reforçou a fiscalização para apreender os veículos clandestinos. Em apenas uma semana, foram 35 apreensões. “Além das operações para combater os clandestinos, é preciso melhorar a oferta do serviço par que as pessoas não tenham interesse por este serviço ilegal”, declarou.
(Visited 19 times, 1 visits today)

local_offerevent_note março 27, 2012

account_box Celso Martins


local_offer