Entenda os riscos das viagens noturnas

Você já deve ter se perguntado: é mais arriscado viajar à noite? A resposta, ao menos juridicamente, é sim. O passageiro que optar por viajar à noite se sujeitará a maiores riscos de problemas em sua viagem do que aquele que optar por viajar de dia.


Primeiramente, problemas de atrasos ou cancelamentos de voo podem ocorrer com mais frequência no período noturno. Alguns aeroportos não operam 24 horas, como Congonhas (SP) e Santos Dumont (RJ), que fecham às 23:00 horas, passando a operar com restrições já a partir das 22h30. Após esse horário, o voo será desviado para outro aeroporto. Ocorrendo um atraso em um voo noturno com destino a um desses aeroportos, por exemplo, a chance de a companhia aérea perder o timing certo e ter de deslocar o voo para outro aeroporto aumenta.

O desembarque em outro aeroporto, por sua vez, poderá acarretar vários transtornos ao passageiro. Inicialmente, sua programação e cronograma já terão ido “por água abaixo”, pois além do atraso do voo em si, haverá, provavelmente, a necessidade de um deslocamento maior para o local de destino, posto que o voo não poderá aterrissar no aeroporto inicialmente previsto.

Além disso, dependendo do horário, a Cia Aérea poderá ter dificuldades em disponibilizar o transporte para os passageiros, comprometendo ainda mais suas programações e compromissos. O passageiro que estiver em conexão enfrentará problemas ainda mais sérios.

Outro aspecto importante diz respeito ao número de voos disponíveis no período noturno. É comum que a maior parte dos voos seja disponibilizada no período diurno (manhã e tarde), por essa razão, o passageiro que, no período diurno, for surpreendido por um atraso exagerado ou pelo cancelamento de seu voo, terá mais facilidade em se reacomodar em outro voo, dado o maior número de voos disponíveis. 

O passageiro que for viajar a noite, por sua vez, poderá ter dificuldades em reacomodar-se em outro voo em caso de atraso ou cancelamento, em razão do menor número de voos disponíveis no período noturno, tendo de esperar o dia seguinte para embarcar. Nesse caso, a chance de perder compromissos pessoais e profissionais aumenta.

Outra questão que deve ser levada em conta são as condições climáticas. Uma mesma condição climática pode ser mais prejudicial no período noturno do que no diurno. Isso porque no período noturno a visibilidade já é naturalmente reduzida. Condições adversas durante a noite podem dificultar ainda mais a navegabilidade da aeronave, comprometendo a segurança dos passageiros. Por essa razão, as probabilidades de atrasos, interrupções e cancelamentos durante o período noturno são maiores.

Pode ocorrer, ainda, de, em razão da menor demanda por voos no período noturno, algumas companhias aéreas trabalharem com tripulações reduzidas nos voos operados neste turno. Com isso, aumenta o risco de atrasos prolongados no período noturno, vez que a empresa aérea poderá ter dificuldade em solucionar com rapidez problemas eventualmente surgidos, pelo reduzido número de funcionários.

Por outro lado, atrasos significativos em voos diurnos tenderão a impactar os horários dos voos noturnos. Por essa razão, é comum que o caos no aeroporto durante o dia gere reflexos ainda mais graves durante a noite, gerando o cancelamento ou atraso de inúmeros voos previstos para o período noturno. Quanto mais prolongado o atraso e o caos durante o dia, maiores as chances de repercussões nos voos noturnos.

Por fim, dependendo do local, o passageiro poderá ter dificuldades em conseguir alimentação adequada, itens de higiene pessoal e acomodação dependendo do horário. É comum que alguns aeroportos se situem em regiões muito distantes dos centros urbanos, não possuindo qualquer rede de comércio próxima. É comum, ainda, que as poucas lojas próximas ou situadas no próprio aeroporto estejam fechadas dependendo do horário. Por essa razão, a satisfação de necessidades mais imediatas, como alimentação e comunicação, poderá ser mais difícil no período noturno, ainda mais se a Cia Aérea se negar a prestar a devida assistência.

Por todas essas razões, o recomendável é que o passageiro opte, sempre que possível, por viajar no período diurno (manhã e tarde), e em períodos com um maior número de voos disponíveis para a rota escolhida, facilitando, assim, a sua reacomodação em caso de cancelamento, interrupção ou atraso de voo. Além disso, o problema de falta de comissários é menos frequente nos locais e horários onde a empresa aérea opera muitos voos.

Teve problemas na sua viagem? Entre em contato conosco pelo e-mail: lewer.amorim@gmail.com ou pelo telefone (31) 8791-7915

(Visited 19 times, 1 visits today)

local_offerevent_note março 16, 2015

account_box Celso Martins


local_offer