Unidades de Conservação brasileiras batem recorde com 21,6 milhões de visitas

Unidades de Conservação brasileiras batem recorde com 21,6 milhões de visitas

Marca foi registrada em 2022 e reforça potencial do país para turismo de natureza, de sol e praia

Reconhecido pelas belezas naturais, com ecossistemas riquíssimos e diversidade de fauna e flora, o Brasil tem nos parques e unidades de conservação um forte atrativo turístico. Somente em 2022, foi registrada a marca inédita de 21,6 milhões de visitas em 137 unidades de conservação espalhadas pelo país, número maior que o registrado em 2021 (16,7 milhões).

Segundo o Fórum Econômico, o Brasil é o terceiro país em atrativos naturais, atrás apenas de Austrália e México. Levantamento do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) mostra que a evolução dos números está ligada ao aprimoramento do monitoramento, ao investimento cada vez maior no uso público dessas áreas, buscando oferecer mais e melhores condições aos visitantes.

A Área de Proteção Ambiental da Baleia Franca (SC) se manteve como a unidade mais visitada. A unidade catarinense recebeu 7,5 milhões de visitas. Já na categoria Parque Nacional, o líder do ranking é o Parque Nacional da Tijuca (RJ), com 3,5 milhões de visitas. A expectativa é a de que esse número aumente ainda mais com o fortalecimento da contratação de pessoal e a readequação das estruturas existentes, previstas para acontecer nos próximos anos.

RedeTrilhas

O Ministério do Turismo, juntamente com o Ministério do Meio Ambiente e o ICMBio, possuem uma estratégia para desenvolver as trilhas nos parques nacionais incentivando, assim, o turismo. Trata-se da Rede Brasileira de Trilhas de Longo Curso e Conectividade (RedeTrilhas), reconhecida internacionalmente com o Prêmio Advancing Trails Awards.

A RedeTrilhas busca ampliar e diversificar a oferta turística brasileira, de modo a estimular o turismo em áreas naturais, gerar oportunidades de emprego e renda para as comunidades nas quais os percursos se inserem e promover as trilhas de longo curso como instrumento de conservação da biodiversidade.

Atualmente, o governo federal reconhece sete trilhas, ou 1.914 quilômetros, por meio da ação. Outras dez, que totalizam 2.585 quilômetros, estão em processo de reconhecimento.

Esta política pública, que conta com um forte engajamento de voluntários da sociedade civil, resgata rotas históricas e conecta pontos de interesse do patrimônio cultural e natural brasileiro, em uma jornada de milhares de quilômetros de trilhas de longo curso implementadas em todo o território nacional.

(Visited 25 times, 1 visits today)

Deixe um comentário

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com

Ação não permitida!