Tudo viagem

SKY é a nova companhia aérea de voos regionais do Brasil

sky-aviaoAinda neste semestre o Brasil terá mais uma companhia de voos regionais. O nome é SKY Linhas Aéreas que terá sua sede em Goiânia. A Sete Linhas Aéreas, que deixou de operar em dezembro do ano passado, está negociando com a nova companhia ceder sua estrutura e as rotas suspensas, além de parte dos investimentos.

A SKY está sendo criada pelo conglomerado italiano SkyBridge Corporation. Um ATR-72, com 70 assentos,  modelo turboélice, já está no Brasil pintado com as cores da nova empresa aérea. Ainda neste ano a empresa deverá incluir em sua frota cinco aeronaves. Esse mesmo de avião é usado no Brasil pela Azul, Flyaways MAP e Passaredo.

Além de voos em Goiânia, Brasília, Tocantins e Mato Grosso, a SKY estuda rotas em Minas Gerais principalmente nos aeroportos que a Azul deixou de operar. Entre as cidades que poderão receber voos estão Juiz de Fora (Serrinha) e Governador Valadares, essa última cidade tem a presença da Azul. A SKY já criou um site nas redes sociais divulgou seu slogan “Seu Jeito de Voar no Brasil”.

Os modelos BEM-120, da Embraer, com assentos, da Sete Linhas Aéreas anda estão em sua sede, em Goiânia estão sendo negociados pela Piquiatuba, companhia com sede em Santarém (PA). A empresa já tem em sua frota um Embraer.

SITE DA NOVA COMPANHIA



(Visited 71 times, 5 visits today)

10 thoughts on “SKY é a nova companhia aérea de voos regionais do Brasil

  1. Ontem num jornal de JF uma reportagem afirmou que Secretaria de Aviação Civil (SAC) esta revendo os investimentos previstos para o Serrinha por causa do aeroporto de Goianá que fica a 47 km da cidade. Afirmam que os aeroportos são próximos e que não há necessidade de se investir no Serrinha. Ubá fica a 70 km de Goianá e tb fica a menos dos 100 km estabelecidos como distância aceitável como raio para utilização de um aeroporto. A pergunta é: os investimentos previstos pela SAC para o aeroporto de Ubá também serão cortados por causa de Goianá? Ou a questão é mesmo o Serrinha, prejudicando apenas Juiz de Fora? Outra consideração: o táxi de Juiz de Fora ao aeroporto hoje custa cerca de 200 Reais e a segunda maior cidade a que serve esse aeroporto, Ubá, não tem nem a opção barata de deslocamento de ônibus. É preciso se deslocar de táxi ou veículo próprio! Esse aeroporto foi construído apenas para usuários de elite? É essa a meta do transporte aéreo no Brasil, restringi-lo à elite? Qual é o projeto do governo de Minas para torná-lo acessível aos usuários que não pertencem às classes mais altas?
    Quanto à SKY, é uma ótima notícia, mas será que vão permitir que atue no Serrinha?

  2. Essa pintura caiu muito bem no ATR 72,e esta noticia de vermos o serrinha operando voos novamente e excelente
    e com certeza voos lotados ,bacana!!!

  3. Vôos novamente para o Serrinha!? É bom demais…
    Sou usuário frequente da ponte São Paulo – Juiz de Fora e sofro com a “burrice” de planejamento estratégico da Azul em relação às rotas para Juiz de Fora. A cidade tem potencial para um fluxo maior de passageiros nessa rota. O que prejudica e faz com que potenciais passageiros desistam do uso do modal aéreo é a distância desse elefante branco chamado Aeroporto da Zona da Mata e ainda a rota para Viracopos (90 km da capital Paulista). Se somarmos os 46 km de ida para Zona da Mata + tempo de voo para VCP + deslocamento 90 KM para capital paulista…andasse mais na terra do que o tempo de voo.
    A GOL trouxe uma melhor opção disponibilizando voos diretos de Congonhas para o Zona da Mata. Mas está pecando no horário…saem de SP ao meio dia e retorna as 14. Quem consegue viajar na metade do dia? Por diversas vezes optei pelo ônibus por não poder usar a rota de voo desse horário.
    Ainda sobre uma visão empreendedora, toda cidade gerida de forma inteligente possui conexão (ônibus) ao aeroporto partindo de pontos estratégicos da cidade. Mas em Juiz de Fora não…disponibilizam um serviço de conexão partindo apenas da rodoviária… o que mostra a mais completa burrice na gestão estratégica da cidade. Reflexo da ignorância da população que não exige qualidade e inteligência na gestão e serviços do município.
    Enfim, Serrinha funcionando e com rota direta para capital de SP…é um sonho. Resta saber se a população de Juiz de Fora tem inteligência para isso…

  4. Qual o prefixo (marcas) do suposto ATR-72 que já está no Brasil? Está em Goiania? Uma empresa disponibilizaria um avião deste porte para ficar “aguardando um operação” sem gerar finanças, e somente gastando, pois aeronave parada ainda assim gera custos de manutenção.

  5. Nelson, a questão não é a burrice da Azul como vc diz. a questão é a política que não permite a utilização do Serrinha para obrigar o funcionamento do Elefante Branco de Goianá. Para se ter uma ideia, em 2007 foram 43 mil passageiros no Serrinha, único aeroporto da região com voos comerciais na época. Em 2012, 100 mil no Serrinha e 66 mil no Elefante. Total: 166 mil passageiros, ou seja, quase 300% a mais. Mas sem o Serrinha, em 2015, Goianá deve ter movimentado cerca de 130 mil passageiros (obs: informações seguras não são divulgadas). Ou seja, três anos depois, o Elefante sozinho não conseguiu superar a marca dos 2 aeroportos juntos em 2012. Mesmo assim a política prefere prejudicar Juiz de Fora, mantendo a cidade principalmente sem voos para BH do que reconhecer que o melhor para toda a região é que os dois aeroportos funcionem juntos, cada um com sua demanda. Um absurdo, situação esdrúxula!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com