Crise obriga Avianca Brasil suspender voos para Santiago, Miami e Nova Iorque

Das 50 aeronaves da frota da companhia, 12 serão devolvidas em plano de reestruturação da companhia que prevê  manutenção de todos os voos nacionais.

A Avianca Brasil suspendeu a venda das passagens de suas rotas para viagens a partir de 31 de março para Santiago, no Chile, e Miami e Nova Iorque, nos Estados Unidos. Todos os Airbus A330 que atualmente são usados nestes voos serão devolvidos. Em comunicado ao mercado, a empresa informou que entrará em contato com todos os clientes que compraram bilhetes para voos posteriores à data mencionada e os casos serão resolvidos individualmente. (Veja comunicado completo no final).

Atualmente a Avianca Brasil usa em seus voos nacionais e internacionais 50 aeronaves Airbus. Destas 12 serão devolvidas. A companhia garante que os demais 26 destinos nacionais estão preservados e que continua operando normalmente, com mais de 240 voos diários. A companhia é a quarta maior do Brasil.

Na 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo, a Avianca Brasil conseguiu prorrogar a suspensão das ações de reintegração de posse que visam à apreensão ou à prática de demais atos de constrição de aeronaves e/ou motores nela até o próximo dia 1º de fevereiro deste ano.

Segundo o Tribunal de Justiça de São Paulo, a empresa se comprometeu a apresentar até essa data proposta de pagamento das dívidas vencidas até 31 de janeiro e/ou devolução escalonada das aeronaves e motores.

Também se comprometeu a realizar os pagamentos das parcelas de leasing vincendas a partir de 1º de fevereiro, nas datas previstas em contratos. A audiência foi conduzida pelo juiz Tiago Henrique Papaterra Limongi.

COMUNICADO DA AVIANCA BRASIL

A Avianca Brasil informa que, para adequar sua operação à atual demanda de passageiros, irá descontinuar os voos diretos que partem de Guarulhos com destino a Santiago do Chile, Miami e Nova York, a partir de 31 de março de 2019.

A empresa segue focada em garantir a sustentabilidade do negócio e em manter a excelência do atendimento, que está em seu DNA. Reforça que todos os demais 26 destinos estão preservados e que continua operando normalmente, com mais de 240 voos diários. Ou seja, assim como em dezembro – mês em que foi a aérea com o menor percentual de voos cancelados do País – seguirá transportando em segurança milhares de passageiros até seus destinos.

A Avianca Brasil entrará em contato com todos os clientes que compraram bilhetes para voos posteriores à data mencionada e os casos serão resolvidos individualmente.

 

Avianca Brasil confirma pedido de recuperação judicial e a devolução de oito jatos

Os passageiros podem ter absoluta tranquilidade em fazer suas reservas e adquirir seus bilhetes, pois todas as vendas serão honradas e os voos mantidos, diz companhia em nota.

A Avianca Brasil confirmou que entrou com pedido de recuperação judicial no Tribunal de Justiça de São Paulo. A companhia informou em nota que pretende devolver oito Airbus, mas reforçou que as operações não serão afetadas. Ainda segundo a Avianca Brasil, o pedido de recuperação judicial vai evitar o cancelamento de voos e garantir o embarque de 77 mil passageiros somente no mês de dezembro.


Leia mais

Aeroporto de Divinópolis recebe doação de equipamentos para voltar a receber voos comerciais

O equipamento de raio X deve chegar em Divinópolis até o final deste mês e a estação tem entrega prevista até o final de janeiro de 2019.

A Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC) decidiu doar os equipamentos de raio X e uma estação meteorológica para que o Aeroporto de Divinópolis volte a ter voos comerciais. A maior cidade do Centro-Oeste de Minas está sem voos comerciais da Azul para Campinas desde março deste ano.


Leia mais

Aeroporto da Pampulha registra prejuízo operacional de R$ 15,7 milhões

Segundo a Infraero, o Aeroporto da Pampulha tem estrutura para receber voos de maior porte, e com a retomada de voos comerciais estimativa de aumento de receitas operacionais.

O Aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte, registrou R$ 11,1 milhões em receitas operacionais de janeiro a junho deste ano. Segundo a Infraero, que gerencia o aeroporto, as despesas operacionais ficaram em R$ 25,8 milhões, gerando prejuízo líquido de R$ 15,7 milhões nos seis primeiros meses do ano. O custo médio mensal das despesas operacionais é de R$ 4,3 milhões.


Leia mais

 

Divinópolis fica sem voos por causa de dívida da prefeitura com empresa que administrava o aeroporto

 

 

Um grupo de empresários pretende comprar raio x e demais equipamentos para segurança nos voos.

A Azul suspendeu no dia 30 de março deste ano os voos de Divinópolis, no Centro-Oeste de Minas Gerais, para Campinas (SP). Mas desta vez não é por falta de passageiros. A Socicam, que gerenciava o aeroporto da cidade, deixou de realizar os serviços por causa de uma dívida de R$ 2,6 milhões. A dívida acumulada há mais de três anos não foi paga pela Prefeitura de Divinópolis.


Leia mais

Gol reduz de R$ 2 mil para R$ 392,39 valor das passagens de Juiz de Fora para a Pampulha

Redução ocorreu depois que o Tudo Viagem denunciou no dia 4 de fevereiro os preços abusivos praticados pela companhia aérea.

A Gol reduziu os preços das passagens dos voos sem escalas do Aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte, para o Aeroporto Regional da Zona da Mata, localizado a 47 quilômetros de Juiz de Fora. No dia 4 de fevereiro o Tudo Viagem mostrou com exclusividade que uma passagem entre as duas cidades, para viagem no dia 20 de fevereiro, custava R$ 1.999,96.


Leia mais

Gol vende passagens dos voos de Juiz de Fora para a Pampulha por R$ 2 mil o trecho

Companhia começou a operar no aeroporto localizado na capital mineira no dia 22 de janeiro deste ano.

Uma passagem da Gol do Aeroporto Regional da Zona da Mata, localizado a 47 quilômetros de Juiz de Fora, para o Aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte, custa R$ 1.999,96. Esse valor é para embarque no dia 20 de fevereiro. O valor cobrado pela Gol é o equivalente ao custo de um bilhete para uma viagem para os Estados Unidos. Quem for viajar no dia 20 de fevereiro da Pampulha para São Paulo (Congonhas), com escala na Zona da Mata, vai pagar R$ 186,90.


Leia mais

Grupo de SC compra a Flyways e promete novos voos para o Santos Dumont e Uberlândia

Uma das notícias mais esperadas do mercado você lê primeiro no Tudo Viagem! Sem operar desde 19 de junho deste ano, a Flyways promete voltar ao mercado com força em setembro graças a um novo grupo de Santa Catarina que comprou a companhia. Serão retomados os voos do Aeroporto da Pampulha (Belo Horizonte) para o Galeão (Rio de Janeiro) e Uberaba (MG).

O ATR-72, com 68 assentos, que teve problemas nos motores, já está passando por uma manutenção em Belo Horizonte. Uma das novidades da companhia é o lançamento de voos da capital mineira para o Rio de Janeiro (Santos Dumont) e Uberlândia, no Triângulo Mineiro, previstos ainda para este ano. A Flyways começou a operar em dezembro do ano passado. No seu site, a Flyways já está anunciando as novidades. (veja abaixo).

fly08

IPATINGA

O novo grupo está estudando a possibilidade de deixar Ipatinga em função de a companhia Azul operar com quatro frequências para Confins, na Grande Belo Horizonte. Três voos semanais de Uberaba para Brasília e de Brasília para Uberlândia já foram pedidos à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), mas não há data para essas rotas serem efetivadas.

A cidade de Uberlândia ganhará voos sem escalas para Belo Horizonte. A Flyways também estuda ligar Montes Claros ao Aeroporto da Pampulha com uma frequência sem escalas. Guarulhos, na Grande São Paulo, também deve ganhar um voo sem escala para a Pampulha.

TELEFONE DA FLYWAYS: 4007-2295

FAÇA AQUI A SUA COTAÇÃO DE PASSAGENS AÉREAS E GARANTA ATÉ 80% DE ECONOMIA

Extra! Governo de MG vai assinar contrato de emergência para evitar fechamento do Aeroporto da Usiminas

O aeroporto localizado em Santana do Paraíso, que atende o Vale do Aço, não será mais fechado a partir de 12 de março. O Governo de Minas vai assinar um contrato de emergência com a Socicam, empresa que já atua no aeroporto. A Usiminas, que tinha a concessão do terminal pelo Governo Federal, foi obrigada a desistir da administração por causa da crise financeira que enfrenta.

O contrato entre a Secretaria de Transportes e Obras Públicas (Setop-MG) e a Socicam será publicado na edição desta sexta-feira (11/03) no Minas Gerais, Diário Oficial do estado. A despesa mensal do aeroporto é de mais de R$ 400 mil. Esse custo será arcado pelo Governo de Minas. A Prefeitura de Santana do Paraíso chegou a estudar a possibilidade de assumir o aeroporto, mas desistiu por falta de recursos.

O contrato de emergência da Socicam vai durar até a conclusão da licitação que vai escolher a empresa que vai assumir de vez o Aeroporto da Usiminas, como é conhecido. A Flyways e a Azul, que operam no Vale do Aço, chegaram a suspender a venda das passagens assim que a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) foi comunicada que a Usiminas deixaria a administração.


Flyways suspende venda das passagens dos voos para o Aeroporto do Vale do Aço

A Flyways Linhas Aéreas suspendeu nesta quarta-feira (24/02) a venda das passagens dos voos de Ipatinga, no Vale do Aço, para o Aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte. A companhia está atendendo a uma determinação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A decisão da Anac foi tomada depois que a Usiminas decidiu abandonar a administração do aeroporto. Os últimos voos da Azul e da Flyways serão no dia 12 de março.
A Usiminas alega que por causa da crise não tem como arcar com as despesas de manutenção do aeroporto que está localizado em Santana do Paraíso, município que faz divisa com Ipatinga. Por mês as despesas da Usiminas com o terminal giram em torno de R$ 400 mil. A empresa tem um convênio com o Governo Federal para gerenciar o terminal.

A companhia Azul vai aguardar até a próxima segunda-feira. Caso não seja apresentada uma solução, a venda das passagens será suspensa. O Governo de Minas está buscando uma solução jurídica para evitar a suspensão dos voos comerciais. Uma das propostas prevê repasse de uma verba estadual para que a  Prefeitura de Santana do Paraíso assuma o aeroporto. A Socicam, empresa contratada pela Usiminas, continuaria no terminal por meio de um contrato de emergência.
O prefeito da cidade Antônio Afonso Duarte (PT) está estudando a possibilidade de o município assumir o aeroporto, mas antes quer tudo colocado no papel, com detalhes das despesas mensais do aeroporto. O prefeito vai discutir o assunto na próxima segunda-feira (29) durante audiência pública que acontece na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte. A outra possibilidade é a de a Usiminas ficar até o final de março, dando um prazo maior para o Governo de Minas encontrar uma solução.


      PASSAGENS DA FLYWAYS PARA IPATINGA ESTÃO SUSPENSAS


Nota da Anac sobre o Aeroporto da Usiminas

Brasília, 24 de fevereiro de 2016 – A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) esclarece que não solicitou a suspensão de voos no aeroporto de Ipatinga/MG, no Vale do Aço. O encerramento das operações no aeroporto, previsto para ocorrer a partir do dia 12 de março, foi uma decisão da Usiminas, atual administradora do aeroporto.

A falta de um operador aeroportuário impossibilita a abertura de um aeroporto ao tráfego aéreo e a realização de operações no sítio aeroportuário. Com o fim da administração, as companhias Azul e Flyways, que operam voos no local, terão que suspender as atividades até que um novo operador assuma as operações do aeroporto.
Os passageiros que já adquiriram bilhetes para voar após a suspensão das operações poderão optar entre ser acomodados em voos anterior ao fechamento do aeroporto, caso estejam disponíveis, e conforme a conveniência do passageiro, ou pelo reembolso integral dos trechos não executados. A ANAC vai monitorar e fiscalizar os procedimentos realizados pelos operadores na prestação de assistência aos passageiros.
Caso o passageiro se sinta prejudicado ou tenha seus direitos desrespeitados, deverá procurar a empresa aérea contratada (contatos abaixo) para reivindicar seus direitos como consumidor. Se as tentativas de solução do problema pela empresa não apresentarem resultado, o usuário poderá encaminhar a demanda à ANAC para análise do caso e eventual aplicação de penalidade às companhias por descumprimento de norma. Para reivindicar algum tipo de reparação, o usuário deve procurar os órgãos de defesa do consumidor e o Poder Judiciário.
A Agência possui canais de comunicação destinados a receber manifestações pela internet (www.anac.gov.br/falecomaanac), pela central de atendimento telefônico 163 (que funciona 24 horas, sete dias por semana, inclusive com atendimento em inglês e espanhol) e presencialmente nos principais aeroportos do Brasil.


HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com