Novo grupo investidor vai reativar a Connect com planos de lançar voos regionais

Os voos regionais serão operados pelo modelo turboélice ATR, mesma aeronave que faz parte das companhias VoePass, MAP Linhas Aéreas e Azul.

A Connect Cargo, companhia que deixou de operar em fevereiro deste ano, acaba de ser comprada por um grupo de empresários de Minas Gerais. Além de investir no transporte de cargas, o grupo planeja voos mais altos: lançar voos regionais em Minas Gerais, Goiás, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo.

A Connect Cargo já está providenciando toda documentação exigida pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) para começar a operar voos comerciais e de carga. Os voos regionais serão operados pelo modelo turboélice ATR, mesma aeronave que faz parte das companhias VoePass (antiga Passaredo), MAP Linhas Aéreas e Azul.

Na operação dos voos regionais a companhia pretende operar com outro nome. O transporte de cargas será feito por Boeings B737-400. Entre as cidades que deverão receber voos da nova companhia estão Ipatinga, Vitória, e Campinas. As outras cidades ainda estão sendo analisadas.

Os voos regionais serão operados no Aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte. Os voos da capital mineira para outros destinos têm tudo para dar certo. Atualmente a Pampulha não tem voos comerciais.

Garanta aqui descontos especiais na compra das passagens aéreas na semana do consumidor

Redução do ICMS em São Paulo vai permitir a criação de mais 64 voos semanais no estado

A criação de novos voos deve gerar 59 mil empregos e o pagamento de R$ 1,4 bilhão em salários.

O estado de São Paulo vai ganhar em um prazo máximo seis meses 64 novos voos nacionais e 6 internacionais. Isso será possível com a redução da alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) que incide sobre o combustível dos aviões em São Paulo. A alíquota será reduzida dos atuais 25% para 12% em voos domésticos. Com a redução vai quase que dobrar o número de cidades paulistas atendidas pelo transporte aéreo, das atuais sete para 13.

As companhias aéreas (AVIANCA, AZUL, GOL, LATAM, LATAM CARGO e PASSAREDO) assumiram o compromisso de atender seis novos destinos dentro do estado e criar mais voos nacionais, todos em processo de definição. A Gol, por exemplo, estuda criar um voo de Guarulhos para Uberaba.

A redução vai permitir o equivalente a 490 novas partidas semanais após aprovação da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). “Essa, sem dúvida, é uma das maiores conquistas da aviação comercial brasileira. Com essa medida, São Paulo ganha ainda mais protagonismo na conectividade aérea nacional, além do desenvolvimento econômico e social que será gerado com mais voos no estado. O governo estadual dá um exemplo de iniciativa que fortalece a competividade do setor aéreo”, diz o presidente ABEAR, Eduardo Sanovicz.

Ainda segundo o presidente da (ABEAR), os voos que serão criados e destinos que serão atendidos vão estimular o aumento de consumo nas cidades e das receitas com o turismo que, num cenário conservador, poderá proporcionar ao estado um aumento anual de R$ 6,9 bilhões no Valor Bruto da Produção, além da geração de 59 mil empregos e o pagamento de R$ 1,4 bilhão em salários. Estima-se, ainda, um impacto econômico de mais de R$ 316 milhões, em 2019.  O estado concentra o maior número de movimentações aéreas (decolagens domésticas e internacionais) do país, com mais de 30% do total.

                        CONFIRA ABAIXO DETALHES DOS VOOS QUE SERÃO CRIADOS

“Stopover”

Também está prevista uma campanha conjunta entre a Secretaria Estadual de Turismo, o São Paulo Convention & Visitors Bureau (SPCVB) e a ABEAR , representando as companhias aéreas associadas, para promover o programa “stopover”, que é a descida em São Paulo de um passageiro num voo vindo de Fortaleza ou alguma cidade internacional, por exemplo, com destino final previsto em Porto Alegre. Neste caso, o passageiro poderia optar por permanecer pelo menos um dia em alguma cidade paulista e aproveitar as ofertas locais de lazer, compras, cultura ou natureza antes de se deslocar ao destino final. O investimento previsto é de cerca de R$ 40 milhões, apenas em 2019.

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com