Alas do Uruguai fará o seu primeiro voo no dia 21 de janeiro de Montevidéu para Assunção

Depois de anos de espera, agora saiu do papel! O primeiro voo da Alas Uruguay será no dia 21 de janeiro, próxima quinta-feira. A companhia começou a vender nesta terça-feira (19) as passagens dos seus voos diretos de Montevidéu para Assunção (Paraguai). Os voos serão às segundas, quartas e sextas. De Montevidéu para  Buenos Aires (Aeroporque) a companhia pretende oferecer três voos diárias, mas a venda das passagens ainda não foi iniciada. A companhia fará ainda a ligação de Assunção com Punta del Este, no Uruguai. O primeiro voo será de Montevidéu para Assunção. 

Com o slogan “Uruguai volta a ter asas”, a companhia tem como principal desafio ganhar a confiança dos passageiros da América do Sul. Até março deste ano a Alas terá voos de Montevidéu para Guarulhos (SP), Galeão (RJ) e Santiago (Chile). A venda das passagens para o Brasil será iniciada assim que a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) analisar os documentos entregues pela companhia. Ainda não há data para o início dos voos para o Chile.

Em primeira mão, confira como será o uniforme da tripulação
EMPREGOS

Inicialmente a Alas vai gerar 220 empregos diretos no Uruguai, a maioria ex-funcionários da Pluna, companhia que faliu em junho de 2012.  Nos outros países serão 60 empregos que serão gerados. A Pluna tinha o Governo do Uruguai como sócio majoritário. A Alas começa a operar com três modelos B-373-300SP, uma das aeronaves da Boeing mais usadas pela aviação comercial. O modelo que a Alas vai usar tem capacidade de transportar 132 passageiros.

          PASSAGENS DO URUGUAI PARA ASSUNÇÃO

                              ASSISTA O VÍDEO DA ALAS URUGUAY

AQUI VOCÊ ENCONTRA O SITE DA ALAS



Alas do Uruguai pretende iniciar voos para o Rio, SP e mais três destinos em dezembro

A companhia Alas Uruguai recebeu autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para funcionamento jurídico no Brasil. Autorização foi publicada pela agência no dia 4 de novembro deste ano. Para que possa solicitar autorização de voos, a companhia precisa finalizar o processo de certificação junto à Anac, que é a convalidação das autorizações emitidas pelo país de origem mais análise do Programa de Segurança do Operador Aéreo (PSOA).

Com três Boeings 737-300, a Alas pretende operar as rotas deixadas pela Pluna, companhia do Uruguai que decretou falência em junho de 2012. A nova companhia pretende começar a venda das passagens ainda em dezembro dos voos de Montevidéu para Assunção, Santiago, Buenos Ares, São Paulo e Rio e Janeiro.
A Alas é uma sociedade anônima, constituída por uma Associação Civil e Conselho de Administração, que tem como acionistas os funcionários da Pluna. Os executivos da Alas chegaram a estudar a possibilidade de usar os Bombardier CRJ-900 Next Generation, de 99 assentos, que pertenciam à Pluna. Um estudo mostrou que o Boeing 737-300, com 149 assentos, além de maior capacidade de transportar cargas.

Acesse aqui o site da Alas






Companhia Alas do Uruguai recebe primeiro Boieng e lança site

A companhia Alas Uruguai pretende iniciar em abril voos
para Assunção, no Paraguai. Com o slogan “Uruguai volta a ter asas”, a
companhia pretende ocupar os espaços deixados pela Pluna, empresa que deixou de
operar em junho de 2012. O site da companhia já está no ar, mas ainda não é possível
comprar as passagens.

Os outros destinos da Alas são Buenos Aires e
Santiago, Córdoba, São Paulo e Rio de Janeiro. Mas para receber autorização das
autoridades brasileiras para operar o novo grupo terá que resolver as pendências
deixadas pela Pluna. Em 2012 centenas de passageiros que compraram passagens no
Brasil não conseguiram embarcar nos voos da Pluna.
No Aeroporto Internacional de Carrasco, em Montevidéu, já está o
Boeing-737-300 com 134 assentos. A aeronave veio da Ucrânia. A pintura do avião
feita em Porto Alegre. Nos próximos dias a Alas recebe o segundo Boeing. A frota
inicial será de três aeronaves. No dia 11 de março  aeronave foi batizada em Montevidéu. (Veja foto)
EQUIPE
A intenção dos executivos da Alas e do Governo do Uruguai,
que participa da criação da companhia, era usar os jatos Bombardier, com 96
assentos, que faziam parte da Pluna. O Boeing-737-300 foi escolhido por ter
capacidade de transportar mais passageiros, mais carga, além das facilidades
oferecidas pela fabricante norte-americana na troca por modelos mais novos.
A empresa contará com 225 funcionários entre pilotos, tripulantes,
equipe de manutenção, técnicos e outros funcionários, a maioria fazia parte do quadro
de empregados da Pluna.
     CONFIRA O MAPA DE ROTAS

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com