De velejador aposentado a fundador do Brasil Ride: Conheça Mario Roma

De velejador aposentado a fundador do Brasil Ride: Conheça Mario Roma

Mario Roma é o Fundador do Brasil Ride, uma das maiores competições de ciclismo do Mundo (Foto: Mario Jordany/ Santander Brasil Ride)

 

Por Débora do Carmo

 

Porto Seguro, pelo sexto ano, é palco de uma das principais provas de ciclismo por estágios premium do Mundo: a Santander Brasil Ride Bahia, que ocorre teve início no dia 7 e segue até dia 13 de novembro. Ao todo participam da ultramaratona cerca de 540 atletas, vindos de 27 estados brasileiros e 18 países.

 

Durante sete dias, os ciclistas, percorrem cerca de 600 km e 13.000 m de altimetria acumulada, entre trilhas e estradas de terra que ligam Arraial d’Ajuda, em Porto Seguro, a Guaratinga, cidade vizinha de vilarejo, na Vila Santander Brasil Ride.

 

O responsável pelo evento: Mario Roma, um luso-brasileiro de 58 anos, que deveria ter Esporte como sobrenome. Roma está no mundo dos esportes há 50 anos. Fundador da Brasil Ride, subiu em um pódio pela primeira vez aos 8 anos e dali só saiu em 2010, mas por uma boa razão. Campeão de vela até a aposentadoria aos 38 anos, o esportista não parou. Foi nesta época que iniciou a dedicação pelo ciclismo – esporte pelo qual também se profissionalizou, vencendo competições pelo planeta.  Vencedor em regatas olímpicas e em diversas outras, foi velejador por 30 anos.

 

Ao se aposentar, tomou um rumo diferente no esporte. Saiu da água e foi vivenciar a experiência em duas rodas. Resultado? Sucesso novamente! Se profissionalizou e se tornou o primeiro português/brasileiro a participar de provas por etapas no Mundo.

 

Dedicação

 

Em 2010, da sua dedicação pelo mundo do Montain Bike (MTB) surgiu um novo desafio. Com o apoio de uma equipe de patrocinadores, ele iniciou uma nova e inovadora prova de ciclismo brasileiro, a Brasil Ride. De um início tímido na Chapada Diamantina, que por cinco anos sediou a prova, a 2021, em Arraial d’Ajuda – Guaratinga, quando o período das inscrições para a ultramaratona durou menos de meia hora, foram 11 provas.

 

“Em busca de maior infraestrutura, Arraial se encaixou perfeitamente no quesito. A escolha levou em consideração a proximidade de aeroporto e por ser um local que aceitasse a estrutura para um evento internacional, além do visual que realmente é único. A Brasil Ride então passou a ter além das montanhas e paisagens incríveis a finalização à beira-mar, uma mistura, um tempero bem baiano e com uma excelente logística”, revelou Mario.

 

O evento realizado em Arraial d’Ajuda-Guaratinga, conta com a participação de mais de 500 atletas (Foto: Mario Jordany/ Santander Brasil Ride) 

 

Recomeço

2021 foi um recomeço para o esporte e não seria diferente para a Brasil Ride. Porém, o diferencial é que tanto atletas, quanto patrocinadores estavam ansiosos com este retorno. “A Covid e todas as situações que vivemos elevou nossas expectativas. Além do percurso, procuramos melhorar sempre. Realizamos um evento para atletas profissionais, mas para 80% do grupo é uma experiência de vida que envolve viagem, cultura, destinos, autoconhecimento, experiência, convivência e também o ‘sair da zona de conforto’, mas com segurança. A novidade desta vez foi, sem dúvida, a inclusão da Serra do Cariri. Além dos patrocinadores três novos grandes players: o Santander  – uma das maiores instituições financeiras do mundo, a Continental – parceira também no Le Tour de France, a maior e mais antiga competição ciclística do mundo, com 120 anos de existência, e a Jeep – que também se juntou ao time”, expôs.

Público

Com a dificuldade de viagens do exterior, diversos atletas não puderam chegar para o evento. Em compensação, a procura foi em massa do público brasileiro. “Isso sem contar no mar de gente que se une a nós na Maratona dos Descobrimentos, que acontece na última etapa do evento, dia 13 de novembro. Na 10ª edição (2019) tivemos o maior número de inscritos de todas as edições com cerca de 2.500 atletas. Com certeza, repetiremos a grandiosa festa”, argumentou.

Mas para quem acha que Mário Roma é apenas um expectador da corrida, se engana. Nessa edição, após o belga Wout Alleman sofrer uma lesão e abandonar a ultramaratona, onde concorria ao lado do português Tiago Ferreira, o fundador da Brasil Ride teve a ideia de pedalar com Tiago no segundo dia de prova, inclusive deixando para trás mais de 150 duplas e chegando em 43º lugar. E tem mais novidades, para o próximo ano, a Brasil Ride estará além-mar, com uma nova prova em Portugal.

 

Na edição 2021, Mario Roma também aproveitou a companhia de tiago Ferreira e pedalou em uma das etapas da Ultramaratona (Foto: Rosita Belinky/ Santander Brasil Ride)

 

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe um comentário

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com