Liberação de jatos na Pampulha movimentará 1,5 milhão de passageiros em 2017, diz Infraero

Se depender da Infraero o Aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte, receberá no ano que vem 1,5 milhão de passageiros transportados em jatos das principais companhias aéreas do Brasil

 

No dia 21 de outubro o Tudo Viagem mostrou com exclusividade que a companhia Gol já está contratando funcionários para iniciar seus voos na capital mineira. Em e-mail enviado pela Gerência Comercial, a Infraero revela que em 2018 a Pampulha terá uma movimentação de 2,2 milhões de passageiros. Os modelos Airbus, Boeings e Embraer usados pela LATAM, Gol, Avianca e Azul são citados no e-mail como aeronaves que vão operar na Pampulha. (Veja documento abaixo).

O Aeroporto da Pampulha está em obra para atender as exigências da Agência Nacional de Aviação (Civil) para liberar voos comerciais com jatos com mais de 100 assentos. Hoje as operações na Pampulha são nos turboélices ATR-72 com 70 assentos. Na foto abaixo, de Gabriel Wallace, Airbus da Presidência da República na Pampulha.

jatos06

PROTESTOS

Moradores da região da Pampulha já lançaram movimentos nas redes sociais contra a liberação dos jatos. A poluição sonora é a principal bandeira do grupo. Até uma ação na Justiça para impedir pousos e decolagens destes jatos está sendo analisada. A BH Airport, concessionária de Confins, também divulgou nota questionando a proposta.

Os voos de longo distância operados por jatos foram transferidos da Pampulha para Confins em 13 de março de 2005. O aeroporto de Belo Horizonte tem dois voos sem escalas da Passaredo para Ribeirão Preto. A Flyways oferece três frequências semanais para Uberaba (MG),mas está com suas operações suspensas.

                  NOTA DA INFRAERO

Sobre a Pampulha, em termos de infraestrutura, a pista de pouso e decolagem e pátios do aeroporto estão aptos para atender a demanda de aeronaves até Código C (Embraer 190, Airbus 318, Boeing 737-700). É importante destacar, no entanto, que a autorização para o tipo de aeronave que opera num aeroporto é fornecida pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), órgão regulador do setor, e até o momento, não há autorização por parte do órgão para qualquer operação com esses equipamentos ou para a oferta de novos voos regulares.

A Infraero analisa atualmente as possibilidades de ampliar a oferta de voos no Aeroporto da Pampulha, atuando em consonância com a Anac para garantir a adequação do aeroporto para a operação com novas aeronaves. Cabe destacar também que a estatal já solicitou a certificação operacional do Aeroporto da Pampulha e aguarda resultado do relatório de vistoria feita pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) no final de setembro. Com esse documento, a Infraero será informada sobre a necessidade de possíveis ajustes na infraestrutura já disponível.

Nesse sentido de melhorias na infraestrutura, a empresa está realizando ações como a reforma dos sanitários, instalação das novas sinalizações do sistema de pistas e luzes de cabeceira e renovação de balcões de check-in. Esses serviços devem ser concluídos até o final deste ano.

 VEJA ABAIXO DOCUMENTO DA INFRAERO

jatos01

NOTA À IMPRENSA DA CONCESSIONÁRIA DE CONFINS

O plano de negócios da BH Airport, concessionária do Aeroporto Internacional de BH, foi elaborado com base em estudos de demanda, que não consideram a operação de um segundo aeroporto na Região Metropolitana de Belo Horizonte para aviões a jato com fins comerciais.

O projeto da concessionária, tanto para o curto quanto para o longo prazo, leva em conta este cenário e é voltado à ampliação e modernização de toda a infraestrutura do Aeroporto, à elevação do padrão de atendimento para os usuários e à remuneração adequada do capital investido.

O principal investimento de curto prazo da BH Airport, que soma R$ 880 milhões, é a implantação do Terminal 2, que será inaugurado até o final deste ano, com a ampliação da capacidade do Aeroporto para 22 milhões de passageiros por ano.

A concessionária entende que no atual cenário de queda de demanda a estratégia deveria ser a concentração de fluxo de passageiros em um mesmo aeródromo, para ampliar o potencial de oferta de novos voos, tanto domésticos quanto internacionais, que beneficiarão os usuários e o desenvolvimento de todo Estado de Minas Gerais.

A BH Airport trabalha para tornar o Aeroporto Internacional de BH a principal porta de entrada e saída para os mineiros, além de um grande hub de distribuição de voos para outras regiões do país.

LEIA TAMBÉM….

Extra! Gol contrata funcionários para iniciar voos na Pampulha


HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com